Córrego Bertioga recebe concreto estrutural

Obras - Destaques
Material será importante para dar estabilidade à estrutura de gabiões que está sendo construída
 
 
As obras de macrodrenagem no Córrego Bertioga prosseguem, entre a Rua Atroaris e a Avenida Fernão Dias Paes Leme. Na manhã da última quinta-feira (15), a empresa licitada aplicou, sob fiscalização da Prefeitura de Várzea Paulista, 70 m² de concreto estrutural, no trecho que fica logo após a Rua Atroaris, antes do início do colchão de gabiões (estrutura de pedras). Segundo o técnico responsável pela obra, Flávio Paschoal, o material vai proteger os gabiões contra possíveis deslizamentos, quando as águas percorrerem o perímetro estabilizado com as pedras.
 
Em paralelo, está em andamento, entre a Rua Atroaris e a Avenida Fernão Dias Paes Leme, a ação de taludamento, que consiste em retirar a argila podre das encostas do córrego, colocar terra limpa e, em seguida, compactar o material. Para aumentar o trabalho de estabilização das laterais e garantir o livre escoamento das águas, sem erosão, é feito o colchão de gabiões. Para executá-lo, colocam-se BGS (brita graduada simples), gabiões e pó de pedra. Tudo isso protegido pelo bidim (manta para drenagem).
 
Segundo o gestor, no sábado, será feita a primeira aplicação de concreto jateado sobre os gabiões (80 m²). O apetrecho adere mais facilmente à estrutura de pedras, estabilizando-a.
 
 
Trabalho em várias frentes
 
Em agosto, representantes da Secretaria de Obras e Urbanismo de Várzea Paulista gerenciaram os trabalhos de sondagem, na Avenida Fernão Dias Paes Leme. No cruzamento com a Avenida Bertioga, os agentes da empresa licitada fizeram uma perfuração próxima ao ponto de ônibus e utilizaram os equipamentos específicos para a análise técnica necessária. A ação permitiu verificar a que altura se encontram os cabeamentos da empresa CPFL e onde poderão ser colocadas as aduelas que se instalarão futuramente no local. 
 
Segundo o secretário da pasta, Josué Santana, com as medidas exatas obtidas, será possível saber o planejamento logístico das futuras intervenções necessárias à terceira fase das obras de contenção de enchentes do Córrego Bertioga. “A sondagem é para ver o que há aqui embaixo e o que nós vamos ter que enfrentar”, explana o secretário. 
 
A intervenção sob a Rua Atroaris também já está finalizada. Duas fileiras de tubos foram substituídas por três carreiras de aduelas. A etapa aumenta a vazão do córrego, uma vez que os tubos existentes têm 1,5 m de diâmetro e as 63 aduelas (retangulares) têm 2,2 m de altura por 2,2 m de largura. 
 
Também estão em andamento os trabalhos para a viabilização do reservatório. A nova área servirá, de acordo com o secretário, para conter as águas das cheias do Córrego, em razão das chuvas.
 
 
Intervenções futuras
 
Também estão previstos trabalhos de drenagem urbana (colocação de bocas de lobo), rebaixamento do leito do rio em um metro, para feitura de base de concreto e construção de taludes. Estas últimas estruturas, em gabiões, nas laterais do córrego, servirão para evitar o deslizamento de terras para o leito.
 
Sob a Avenida Fernão Dias Paes Leme, no mesmo ribeiro, também se construirão tubulações de aduelas. Será feita uma nova pista, paralela à Avenida Bertioga, entre a Avenida Fernão Dias Paes Leme e a Rua Atroaris. Entre a nova via e o Córrego Bertioga, haverá um parque linear, todo gramado, para permitir que as águas da chuva sejam melhor absorvidas pelo solo local. A área verde também terá importância paisagística e urbanística e poderá atrair novos comerciantes.
 
 
Investimento
 
O custo da Fase 3 do Córrego Bertioga totaliza R$ 12.852.660,14, dos quais R$ 2.579.141,65 serão custeados pela Prefeitura. 
 
 
Primeira etapa
 
A Fase 1 das obras do Córrego Bertioga, trabalho sob fiscalização da Prefeitura de Várzea Paulista, entre a Avenida Fernão Dias Paes Leme e a Avenida Ipiranga, teve sua conclusão no fim de janeiro. A construtora licitada asfaltou a área onde foram feitas as intervenções, para que a via possa voltar a ter o fluxo normalizado. O aumento da vazão foi fundamental para permitir os trabalhos da Fase 3, sem riscos de alagamentos nos trechos mais próximos da Avenida Ipiranga.
 
No início do mesmo mês, a empresa concluiu a tubulação complementar às 183 aduelas (canais de escoamento para águas pluviais). Foi feita também a interligação das novas instalações com o sistema de drenagem existente, na área de contenção pluvial próxima à Avenida Fernão Dias Paes Leme. Foram instaladas caixas pluviais e tubulação, entre outros trabalhos de drenagem.
 
A empresa realizou anteriormente, várias canalizações, com o fim de coletar as águas pluviais advindas dos bairros Jardim Continente e Jardim Gianfrancesco. As intervenções ocorrem, sobretudo, no trecho do Córrego Bertioga, a partir da Avenida Fernão Dias Paes Leme, com sentido à Avenida Ipiranga. Também foram feitas canalizações para o escoamento das águas de chuva vindas das ruas Atroaris (Vila Tupi) e Pontiguara (Jardim Gianfrancesco).
 
Os trabalhos tiveram acompanhamento técnico por parte da Secretaria de Obras, em todas as suas etapas, segundo o prefeito. O total do investimento do Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos) – Governo Estadual – é de R$ 1.807,420,69, dos quais R$ 530.598,06 serão custeados pela Prefeitura.
 
 
Segunda etapa
 
A Prefeitura também concluiu, no fim de março, a escavação de um novo canal de escoamento de águas pluviais, entre o Córrego Bertioga e o Rio Jundiaí (Fase 2). Segundo o secretário da pasta, Renato Germano, a ação reduzirá o tempo que as águas levam para passar da jusante do córrego, quando seu volume é maior, ao rio. “Vai acelerar de cinco a 10 minutos”. O novo canal tem aproximadamente 150 m de comprimento. A largura é de mais ou menos 7 m. O leito (parte mais baixa do canal) tem 4 m de largura.