Vias de acesso ao Viaduto da Ponte Seca recebem obras de drenagem

Obras - Destaques
Prefeitura acompanha trabalhos para condução de águas pluviais
 
A empresa licitada para a construção do Viaduto da Ponte Seca prossegue com as obras do sistema de drenagem das vias de acesso à construção – Ruas Manoel Dias Ruivo e Richard Klinger, sob fiscalização da Prefeitura de Várzea Paulista.
 
O trabalho de canalização e colocação de galerias e outros aparatos será importante para o escoamento da água das chuvas, quando o viaduto estiver pronto e impermeável, segundo o secretário Josué Santana. “Temos que jogá-la na drenagem”. 
 
No projeto estão previstas as colocações de bocas de lobo, galerias pluviais, tubulação (até as bocas de lobo), poços de visita (câmara de onde se ramificam as instalações pluviais), além das guias e sarjetas, igualmente importantes para o escoamento.
A etapa deve ser concluída em meados de março.
 
 
 
Mãos à obra
 
No final de janeiro já havia sido feita a sondagem para análise e obtenção de detalhes sobre a resistência do solo. Segundo o encarregado José Araújo de Oliveira, com o resultado da análise, este mês, um profissional especializado poderá calcular como serão estruturadas as fundações e o viaduto em si. 
 
A empresa licitada para a construção do Viaduto da Ponte Seca iniciou, em 27 de novembro, os primeiros trabalhos, sob a fiscalização da Prefeitura de Várzea Paulista. O terreno começou a ser limpo e foram feitas algumas medições (topografia), segundo o secretário de Obras e Urbanismo, Josué Santana. 
 
 
 
Viaduto da Ponte Seca 
 
O projeto prevê a construção, dentro de 18 meses, de uma passagem superior à linha férrea, para fazer a ligação entre o Bairro Ponte Seca e a Av. Duque de Caxias, próximo ao Jardim Promeca. A ligação será uma alternativa para acessar bairros das Zonas Norte e Leste do município e desafogar o Viaduto dos Emancipadores, sobrecarregado em determinados horários.
 
Para o secretário de Obras e Urbanismo, Josué Santana, a construção melhorará sensivelmente o fluxo de veículos. “É uma obra que vai desafogar o centro antigo, eu acredito que em 25% do tráfego”, explicou.
 
O custo total da obra será de R$ 3.484.034,96 – recursos do Governo Estadual – dos quais R$ 984.034,96 serão custeados pela Prefeitura de Várzea Paulista.
 
 
Via Rápida

 
O Viaduto da Ponte Seca consiste em mais uma das metas da administração varzina, dentro do programa Via Rápida, para otimizar o tráfego veicular em Várzea Paulista. A intervenção poderá atrair novos investimentos à cidade, segundo o prefeito Juvenal Rossi. 
 
De acordo com o gestor, o recapeamento de parte da Avenida Ipiranga, concluído no início de dezembro, foi outra ação para melhorar a mobilidade urbana. “No momento, esta é a única via alternativa possível para desafogar a Avenida Fernão Dias Paes Leme”, explicou o prefeito.
 
A Estrada da Boiada foi outra conquista, requisitada pela Prefeitura de Várzea Paulista e inaugurada pela Prefeitura de Jundiaí, em 2013. O acesso liga a região do Santa Gertrudes, em Jundiaí, à região da Vila Popular, em Várzea Paulista, e melhorou a mobilidade na região.