Terreno do Viaduto da Ponte Seca recebe sondagem

Obras - Destaques
Análise de solo foi encomendada pela construtora licitada
 
Foi realizada na última quinta-feira (29), a sondagem, em dois pontos (início e fim) do terreno onde será construído o Viaduto da Ponte Seca, para análise e obtenção de detalhes sobre a resistência do solo. Segundo o encarregado José Araújo de Oliveira, com o resultado da análise, dentro de 15 a 20 dias, um profissional especializado poderá calcular como serão estruturadas as fundações e o viaduto em si. 
 
A empresa licitada para a construção do Viaduto da Ponte Seca iniciou, em 27 de novembro, os primeiros trabalhos, sob a fiscalização da Prefeitura de Várzea Paulista. O terreno começou a ser limpo e foram feitas algumas medições (topografia), segundo o secretário de Obras e Urbanismo, Josué Santana. 
 
A próxima etapa será a execução de drenagem no entorno de obra (entre outras ações, construção de galerias de águas pluviais) e nas Ruas Manoel Dias Ruivo e Richard Klinger (canalização subterrânea). 
 
 
Viaduto da Ponte Seca 
 
O projeto prevê a construção, dentro de 18 meses, de uma passagem superior à linha férrea, para fazer a ligação entre o Bairro Ponte Seca e a Av. Duque de Caxias, próximo ao Jardim Promeca. A ligação será uma alternativa para acessar bairros das Zonas Norte e Leste do município e desafogar o Viaduto dos Emancipadores, sobrecarregado em determinados horários.
 
Para o secretário de Obras e Urbanismo, Josué Santana, a construção melhorará sensivelmente o fluxo de veículos. “É uma obra que vai desafogar o centro antigo, eu acredito que em 25% do tráfego”, explicou.
 
O custo total da obra será de R$ 3.484.034,96 – recursos do Governo Estadual – dos quais R$ 984.034,96 serão custeados pela Prefeitura de Várzea Paulista.
 
 
Via Rápida
O Viaduto da Ponte Seca consiste em mais uma das metas da administração varzina, dentro do programa Via Rápida, para otimizar o tráfego veicular em Várzea Paulista. A intervenção poderá atrair novos investimentos à cidade, segundo o prefeito Juvenal Rossi. 
 
De acordo com o gestor, o recapeamento de parte da Avenida Ipiranga, concluído no início de dezembro, foi outra ação para melhorar a mobilidade urbana. “No momento, esta é a única via alternativa possível para desafogar a Avenida Fernão Dias Paes Leme”, explicou o prefeito.
 
A Estrada da Boiada foi outra conquista, requisitada pela Prefeitura de Várzea Paulista e inaugurada pela Prefeitura de Jundiaí, em 2013. O acesso liga a região do Santa Gertrudes, em Jundiaí, à região da Vila Popular, em Várzea Paulista, e melhorou a mobilidade na região.