Campo da Vila Marajó recebe nome de Valdevino Pereira dos Santos – “Seu” Divino

Destaques

“Seu” Divino era figurinha marcada nos campeonatos de futebol amador do município

 

 

Muito conhecido em Várzea Paulista devido a sua forte história de amor com o futebol amador, Valdevino Pereira dos Santos – “Seu” Divino – mostrava uma grande ligação com o time Guarani há mais de 15 anos. Por conta de sua influência no cenário amador de futebol do município, o Campo da Vila Marajó, que recentemente passou por revitalizações, recebe agora o nome do seu Valdevino, em uma homenagem póstuma.

 

Seu filho Paulo Diego Pereira dos Santos conta que a história do pai com o futebol surgiu desde quando ele era muito jovem e morava no Paraná. “Ele jogou muita bola no Cianorte, Japurá, Umuarama, esses lados… Quando veio para cá, para Várzea Paulista, em 1978, meu pai montou um time de salão. Eles chegaram até ser campeões”, explica.

 

Fã de futebol amador, Valdevino sempre acompanhava o esporte, e resolveu montar um time com jovens para disputar a segunda divisão. Logo em seguida recebeu um convite para disputar a primeira divisão, e a partir de 2002 teve início sua relação com o Guarani, se tornando, então, diretor do time.

 

 

“Ele sempre se dedicou ao time, não só ao Guarani, mas também participou de outros times, como o Cruzeiro da Vila Maringá de Jundiaí, e sempre acompanhou o futebol do Botafogo também de Jundiaí. Além de todos os times de Várzea, porque para todos que perguntarem, irá confirmar que ele tem influência. Muitos diretores de outros times dizem que o futebol amador da cidade é o que é hoje graças a ele, porque ele sempre correu atrás, nunca faltou nas reuniões, até doente ele ia. Por isso era um cara muito considerado no meio do futebol amador”, conta o filho.

 

Sobre a nomeação do Campo da Marajó, casa também do Guarani e do Londrina de Várzea Paulista, Paulo comenta: “A família inteira se sentiu honrada com a homenagem do nome, porque o campo é próximo da nossa casa, onde todo dia a gente passa por ali e vê o nome dele. É um grande reconhecimento e muito gratificante”.

 

A vasta experiência e conhecimento sobre futebol amador fizeram com que seu Valdevino ganhasse destaque e também influenciasse a família, pois seus filhos também acompanham o campeonato municipal. “Através do meu pai, os meus sobrinhos – Denner Fernando, de 12 anos, e David, de 10 anos – já estão jogando bola em times de futebol de salão”, revela.