Várzea Paulista se despede do guarda municipal Cunha

Casa Civil - Destaques

Guarda morto na noite de terça-feira (7), vítima de um assaltante, foi homenageado, com forças de segurança de diversas cidades e um cortejo pelas ruas de Várzea Paulista

 

Muito carinho, orações e palavras positivas. Assim se resume a homenagem histórica recebida pelo guarda municipal Cunha, de Várzea Paulista, na tarde desta quarta-feira (8). O GCM de 49 anos, primeiro da cidade a ser morto em serviço, após uma troca de tiros com um assaltante, na noite dessa terça-feira (7), foi homenageado por familiares, amigos, autoridades e forças policiais de Várzea Paulista, outras cidades e o Estado de São Paulo. Após o velório, primeiro da história na quadra do Espaço Cidadania, com centenas de pessoas, o corpo foi levado, por um caminhão de bombeiros voluntários, ao Cemitério da Paz, em Jundiaí, onde foi enterrado.

 

Após 15 anos de serviços prestados ao município, Cunha recebeu condolências do prefeito de Várzea Paulista, Juvenal Rossi; várias autoridades da cidade e região; muitos colegas da GCM (Guarda Civil Municipal) varzina; e diversos representantes das Polícias Civil e Militar do Estado, além de outras corporações. Entre as muitas cidades, Caieiras, Jundiaí e Salto foram representadas por membros de suas Guardas Municipais. Membros da Frente Parlamentar das Guardas Municipais também se fizeram presentes.

 

 

As centenas de presentes puderam se despedir do servidor com mensagens positivas e orações, no primeiro momento da homenagem. Ao final do encontro no Espaço Cidadania, houve uma celebração religiosa.

 

Depois do velório, um caminhão do GBCV (Grupamento de Bombeiros Civis Voluntários) liderou uma grande carreata por ruas da região central da cidade. O cortejo conduziu o corpo ao Cemitério da Paz, próximo ao Clube de Campo dos Metalúrgicos, em Jundiaí. O enterro ocorreu no mesmo local. Waldevino Santos Cunha deixa a esposa e dois filhos.

 

 

O prefeito decretou três dias de luto, a partir de hoje. Até sexta-feira (10), as bandeiras do Paço Municipal varzino ficam a meio mastro, em memória do guarda municipal assassinado.