Cemeb Paulo Freire encerra projeto “Colcha Solidária”

Notícias

A cerimônia reuniu professores, pais e alunos para entregar colchas de retalhos para o Grendacc, Sítio Agar e Fundo Social de Solidariedade

 

Colcha Solidária8A Cemeb Paulo Freire realizou, no último sábado (8), às 9 horas, um evento que reuniu professores e comunidade. O objetivo foi entregar colchas de retalhos, feita por pais e crianças, para instituições que necessitam. Além disso, o projeto visa afetar as crianças e comunidade sobre a importância de criar vínculos. A cerimonia contou com aproximadamente 150 pessoas e com a presença da primeira dama, Angela Rossi.
 
Segundo a diretora da Unidade, Kátia Regina Mattos, o projeto visa à proximidade, à amizade, à fraternidade para que haja união entre escola, família e comunidade. “Objetivo é criar laços para que as crianças criem essa ideia de vínculos, para que se coloquem no lugar do outro, para entender as necessidades do outro onde o objetivo é que tenhamos uma sociedade mais harmônica”, explica.
 
O projeto “Colcha Solidária” teve como objetivo, a primeiro momento, afetar crianças e pais, a ideia era que elas levassem as colchas para casa, e então, com os pais, fizessem retalhos dos momentos mais importantes, como utilizar tecidos de um membro da família que não está mais presente ou fazer recortes de tecidos que marcaram uma data importante. “A lição era colocar um pedacinho de tecido nas colchas que teve memória importante para família, que tive um valor sentimental”, explica a diretora, Kátia Regina.

Colcha Solidária15

De acordo com ela, outro momento do projeto é afetar a comunidade fazendo as doações das colchas para instituições de caridade, para moradores de rua, pessoas com deficiências e pessoas doentes. Algumas unidades beneficiadas foram o Bem te vi, Grendacc, Fundo Social de Solidariedade e Sítio Agar.

 
Segundo fase do projeto
 
A segundo fase é arrecadar lacres de latinha para que os alunos reflitam sobre a importância de preservar o meio ambiente.  Além disso, os professores da Cemeb vão apresentar esse projeto no movimento pedagógico, que é apresentado a todos educadores em novembro, para que outras escolas possam desenvolver.