Defesa Civil do Estado realiza vistoria na Rua Tocantins

Casa Civil - Destaques
Engenheiros técnicos vistoriaram área atingida; visita foi pedido do prefeito em recente encontro com secretário da Casa Civil
 
 
Nesta terça-feira (22), técnicos da Casa Militar, órgão responsável pela Defesa Civil do Estado, estiveram em Várzea Paulista para avaliar os deslizamentos provocados pelas chuvas ocorridas na última semana e planejar ações.
 
A vistoria inicial aconteceu na Rua Tocantins, no Jardim Mirante em razão das chuvas que atingiram a cidade de Várzea Paulista na última quinta-feira (10), e provocaram deslizamentos, afetando cerca de 5 a 6 casas. A vistoria atende um pedido do prefeito Juvenal Rossi, que solicitou, no dia 15 de março, junto ao secretário interino da Casa Civil, apoio emergencial para solucionar os problemas na Rua Tocantins e pedir que a Defesa Civil do Estado se coloque à disposição de Várzea Paulista.
 
O órgão estadual designou dois técnicos para realizar os procedimentos no município. De acordo com o engenheiro da Defesa Civil Estadual, Antônio Cirilo, eles vieram a pedido do secretário-chefe da Casa Militar, José Roberto Rodrigues de Oliveira. O Engenheiro explica que a vistoria é um procedimento e, independente de qualquer resultado, é necessário para conhecimento do local afetado.
 
“Essa avaliação é obrigatória para termos uma noção do custo necessário, se a obra é de Defesa Civil, quantas pessoas serão beneficiadas com a obra, se a área é pública ou particular e analisar todas as resoluções técnicas possíveis e a viabilidade de firmar convênio” explicou.
 
Ele ressalta que agora é necessário aguardar todas as etapas. “Precisamos aguardar para ver se serão disponibilizados recursos, e optar por um projeto especifico, se será a construção de um muro ou gabião, enfim, tudo vai depender da possível celebração de convênio para executar as intervenções necessárias”, finalizou. Durante a visita, os técnicos percorreram a área atingida, realizaram medição e documentaram com fotos.
 
O secretario de Infraestrutura Urbana, Renato Germano, estava presente na vistoria e avalia o local acometido. “Infelizmente aqui é uma área irregular, uma obra feita sem drenagem, sem um plano, além de não seguir o código de obras corretamente”, avaliou o secretário.