Prefeitura esclarece dificuldades em razão das chuvas

Casa Civil - Destaques
Fortes precipitações recentes, aliadas ao sol quente em dias secos, aceleram muito o crescimento do mato e dificultam a execução de serviços como roçagem e tapa-buracos 
 
 
As constantes chuvas recentes, de maneira contínua, prejudicaram o andamento dos trabalhos da Prefeitura de Várzea Paulista, nos últimos dias. Ações como roçagem e limpeza de áreas públicas, além de operações tapa-buracos, ficam inviabilizadas, segundo o secretário de Infraestrutura Urbana, Renato Germano. Dados da Defesa Civil apontam que, em fevereiro, a chuva acumulada foi de 370,54 mm, acima da média dos últimos dois anos.
 
O gestor esclarece que as chuvas inviabilizam várias intervenções em áreas públicas. A própria legislação trabalhista proíbe trabalhos como a roçagem com essa condição. “Esse tempo não é propício para obras e vários tipos de serviços, como limpezas e roçagens”, informa. “O trabalho não rende”.
 
De acordo com Germano, os dias chuvosos, intercalados com dias muito quentes, acabam por acelerar o crescimento do mato, que cresce de 5 a 10 cm por dia. “Além de não conseguir cortar o mato, temos que encarar a aceleração de seu crescimento”, explica.
 
Outra ação que precisou ser interrompida temporariamente foi a de manutenções como nivelamento e drenagem nas ruas de terra. Em razão das chuvas, a frente de trabalho precisa aguardar um pouco, já que, com a água, pode ser criada lama, prejudicando ainda mais as condições de trânsito nas vias de terra onde existe essa demanda.
 
No Córrego Bertioga, também foi necessário cessar os trabalhos, por um tempo, já que são precisos ao menos dois dias de tempo seco, para prosseguir com a estabilização das encostas. 
 
Para dar continuidade à operação tapa-buracos, também é necessário haver o mínimo de estiagem, já que a massa asfáltica, quando molhada pela chuva, cede e volta a provocar a criação de cavidades nas vias públicas.
 
Segundo Germano, a Prefeitura conta também com a proibição do uso de capina química, estabelecida pelo Sistema Estadual de Toxicovigilância. Desde janeiro, o produto que controlava o crescimento do mato não pode ser utilizado.
 
 
Trabalho contínuo
 
Apesar das dificuldades em razão do tempo, a Prefeitura tem várias frentes de trabalho atuando em 2016, para enfrentar os problemas da cidade.
As equipes de roçagem e capinação já realizaram o trabalho em 30 escolas do município. A Secretaria de Trânsito tem feito limpezas das bordas do Rio Jundiaí, em sua marginal, há mais de 40 dias e prossegue com a operação, com o objetivo de percorrer toda a extensão concernente a Várzea Paulista, nos dois sentidos da via.
 
A Marginal também recebeu uma operação tapa-buracos, concluída no início de fevereiro. A demanda ainda é grande na via e na cidade como um todo, motivo pelo qual, com o tempo seco, será feita uma força-tarefa para buscar atender o município da melhor forma possível.
 
Entre os trabalhos de macrodrenagem e contenção de enchentes, também está sendo finalizada a nova alça, paralela à Avenida Bertioga. A estabilização das encostas também será retomada assim que houver pelo menos dois dias de tempo seco e o solo não estiver mais úmido.