Prefeitura realiza audiência pública sobre Plano de Coleta Seletiva

Casa Civil - Destaques
População conheceu considerações dos relatórios já produzidos e fez críticas e sugestões
 
A Prefeitura de Várzea Paulista promoveu, na noite da última quinta-feira (18), uma audiência pública sobre o Plano Municipal de Coleta Seletiva, na Câmara Municipal. Com a exposição dos relatórios, a população opinou sobre o projeto e teve como fazer críticas e sugestões, para a convalidação do material e produção do terceiro produto do trabalho (relatório) – prévia do plano finalizado. Pretende-se contemplar as demandas específicas da cidade. 
 
Os dois produtos que foram apresentados são: 1 – Relatório do Diagnóstico para a Coleta Seletiva e Plano de Mobilização e 2 – Relatório de Metas, Projetos, Ações e Programas do Plano de Coleta Seletiva. “A gente espera a contribuição de todos para a desenvolver os produtos posteriores”, declarou a coordenadora técnica e palestrante da audiência, Telma Kamiti, profissional da empresa licitada para a produção do material. 
 
As sugestões da população foram anotadas, para, possivelmente, serem contempladas pelo Plano Municipal de Coleta Seletiva. O material, quando concluído, norteará a Prefeitura para a implantação da coleta seletiva do município. 
 
Para o prefeito Juvenal Rossi, presente no evento, as audiências públicas são fundamentais para oficializar as medidas necessárias e torná-las permanentes. Dessa forma, independentemente das alterações dos quadros gestores da cidade, as ações serão garantidas. Nesse sentido, a participação popular é fundamental, para que as reais necessidades da cidade sejam contempladas, no Plano Municipal de Coleta Seletiva. “É preciso que haja adesão das pessoas que moram na cidade”, explicou. “É preciso ter mecanismos que garantam o que o povo quer”.
 
 
Aprovação
 
Para João Baptista Gonçalves, participante, desde 1998, de uma ONG que faz coleta seletiva em Várzea Paulista, a audiência pública tem relevância para a conservação sustentável da cidade. “A importância é enorme. Você tem saúde, se cuida do ambiente”, opinou.
 
O munícipe João Francisco Dourado, de uma empresa de caçambas, já participou de audiências públicas em outras cidades. Em Várzea Paulista, é a primeira vez que prestigia esse tipo de encontro. Para o cidadão, trata-se de uma oportunidade para dar sugestões baseadas em sua experiência profissional. Ele faz questão de manter uma boa relação com as autoridades. “A gente sempre está em contato com todo o pessoal”.
 
 
Sobre o Plano
 
O Plano Municipal de Coleta Seletiva – convênio da Prefeitura com o Ministério do Meio Ambiente – está na fase de finalização. Sua elaboração tem como objetivo direcionar as políticas públicas, implantar serviços de coleta seletiva, conscientizar a população sobre a importância da reciclagem e minimizar a disposição em aterros sanitários dos resíduos que possam ser reciclados e/ou reutilizados. Além disso, possibilitará a inclusão social dos catadores informais, por meio da criação de cooperativas. Segundo Telma, até novembro, haverá novas etapas, inclusive com a realização de mais uma audiência pública, para a convalidação e término do material.
 
Avanços
O prefeito também ressaltou os esforços da administração municipal para permitir o descarte correto dos resíduos sólidos. É o caso do 1º Ecoponto da cidade, local que recebe vários materiais, inclusive recicláveis. Fazer o descarte correto é importante, segundo Rossi, não só ao meio ambiente, mas também por reduzir o lixo coletado domiciliar, pago mensalmente, de acordo com o peso, pela Prefeitura à empresa licitada. “A cidade já começa ganhando”.
 
Junto da Sabesp, também foi possível atingir ótimos patamares de abastecimento de água potável e tratamento de esgoto. A cidade atende 99% da população com água canalizada e tem obras em andamento na região do Jardim Gauchinha (Projeto Vida Cristalina), para atingir índice superior a 99,5%, ainda este ano. Da mesma forma, o sistema de tratamento de esgoto hoje já possibilita mais de 91% de esgoto coletado e tratado. 
 
Graças a esse trabalho, foi possível despoluir rios e córregos que hoje já fornecem água para o abastecimento. O município inclusive teve outorga estadual para utilizar água do Rio Jundiaí. Houve um aumento de 100 litros por segundo na capacidade de fornecimento, uma ampliação equivalente a uma nova represa. A cidade passou muito bem pelo período de estiagem no ano passado, inclusive. 
 
 
Sobre o Ecoponto
 
O primeiro Ecoponto de Várzea Paulista é um local destinado a receber e dar o destino ambientalmente correto aos objetos usados que, muitas vezes, são abandonados nas ruas, calçadas e terrenos baldios da cidade. 
 
Será permitido o descarte de materiais como pisos, blocos, cerâmica, areia, vidro, metais, pneus, louças, reboco, móveis (desmontados), plástico, madeira, pallets, pontaletes, concreto, eletrônicos, telhas de cerâmica e eletrodomésticos, objetos que muitas vezes, são descartados irregularmente em via pública.
 
Contudo, não será possível depositar materiais como pilhas, colas, óleos, gesso, tintas, resinas, baterias, amianto, lâmpadas, lixo industrial, lixo hospitalar, lixo doméstico, materiais orgânicos e produtos químicos. O Ecoponto funcionará na Rua Atroaris, s/n, no Jardim Continente, junto à usina de asfalto da Prefeitura. O atendimento será feito de quarta a sexta, das 8 às 11 horas e das 12 às 17 horas, e aos finais de semana das 8 às 13 horas.