Pacotão de obras I: Prefeito visita Córrego Bertioga

Casa Civil - Destaques
Começam a ser feitas novas tubulações de aduelas, sob a Rua Atroaris
 
O prefeito de Várzea Paulista, Juvenal Rossi, visitou o início da construção de tubulações de aduelas (canais de concreto para escoamento para de águas pluviais), sob a travessa da Rua Atroaris, no Córrego Bertioga. O objetivo da vistoria foi conferir a correção dos trabalhos (Fase 3), por parte da empresa licitada.
 
Segundo o gestor, a intervenção é importante, uma vez que, no futuro, possibilitará a contenção de enchentes no córrego construção de uma pista paralela à Avenida Bertioga, que permitirá à via ter dois sentidos. A modernização também poderá atrair novos investimentos para a cidade, segundo o gestor. “Ela é fundamental e faz parte da reconstrução da cidade”, explicou. “É a garantia de não haver mais enchentes aqui, em tempo de chuva”.
 
 
Sobre a obra
 
A canalização existente sob a Rua Atroaris será refeita. “Vão ser trocadas duas fileiras de tubos por três carreiras de aduelas”, explicou o secretário de Obras e Urbanismo, Josué Santana.
 
Essa etapa aumentará a vazão do córrego, uma vez que os tubos existentes têm 1,5 m de diâmetro e as 63 aduelas (retangulares) têm 2,2 m de altura por 2,2 m de largura. 
 
Concomitantemente, já estão sendo feitos, desde a semana passada, os trabalhos preliminares de escavação, limpeza e desassoreamento do espaço onde haverá o reservatório. Essa nova área servirá, de acordo com o gestor, para conter as águas das cheias do Córrego, em razão das chuvas.
 
 
Intervenções futuras
 
Para os próximos meses, também estão previstos trabalhos de drenagem urbana (colocação de bocas de lobo), rebaixamento do leito do rio em um metro, para feitura de base de concreto e construção de taludes. Estas últimas estruturas, em gabiões, nas laterais do córrego, servirão para evitar o deslizamento de terras para o leito.
 
Sob a Avenida Fernão Dias Paes Leme, no mesmo ribeiro, também se construirão tubulações de aduelas.
Será feita uma nova pista, paralela à Avenida Bertioga, entre a Avenida Fernão Dias Paes Leme e a Rua Atroaris.
 
Entre a nova via e o Córrego Bertioga, haverá um parque linear, todo gramado, para permitir que as águas da chuva sejam melhor absorvidas pelo solo local. A área verde também terá importância paisagística e urbanística e poderá atrair novos comerciantes.
 
 
Investimento
O custo da Fase 2 do Córrego Bertioga totaliza R$ 12.852.660,14, dos quais R$ 2.579.141,65 serão custeados pela Prefeitura. 
 
Primeira etapa
 
A Fase 1 das obras do Córrego Bertioga, trabalho sob fiscalização da Prefeitura de Várzea Paulista, entre a Avenida Fernão Dias Paes Leme e a Avenida Ipiranga, teve sua conclusão no fim de janeiro.
 
A construtora licitada asfaltou a área onde foram feitas as intervenções, para que a via possa voltar a ter o fluxo normalizado. O aumento da vazão foi fundamental para permitir os trabalhos da Fase 3, sem riscos de alagamentos nos trechos mais próximos da Avenida Ipiranga.
 
No início do mesmo mês, a empresa concluiu a tubulação complementar às 183 aduelas (canais de escoamento para águas pluviais). Foi feita também a interligação das novas instalações com o sistema de drenagem existente, na área de contenção pluvial próxima à Avenida Fernão Dias Paes Leme. 
 
Foram instaladas caixas pluviais e tubulação, entre outros trabalhos de drenagem.
A empresa realizou anteriormente, várias canalizações, com o fim de coletar as águas pluviais advindas dos bairros Jardim Continente e Jardim Gianfrancesco. As intervenções ocorrem, sobretudo, no trecho do Córrego Bertioga, a partir da Avenida Fernão Dias Paes Leme, com sentido à Avenida Ipiranga.
 
Também foram feitas canalizações para o escoamento das águas de chuva vindas das ruas Atroaris (Vila Tupi) e Pontiguara (Jardim Gianfrancesco).
Os trabalhos tiveram acompanhamento técnico por parte da Secretaria de Obras, em todas as suas etapas, segundo o prefeito. O total do investimento do Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos) – Governo Estadual – é de R$ 1.807,420,69, dos quais R$ 530.598,06 serão custeados pela Prefeitura.
 
 
Segunda etapa
 
A Prefeitura também concluiu, no fim de março, a escavação de um novo canal de escoamento de águas pluviais, entre o Córrego Bertioga e o Rio Jundiaí (Fase 2). Segundo o secretário da pasta, Renato Germano, a ação reduzirá o tempo que as águas levam para passar da jusante do córrego, quando seu volume é maior, ao rio. “Vai acelerar de cinco a 10 minutos”.
O novo canal tem aproximadamente 150 m de comprimento. A largura é de mais ou menos 7 m. O leito (parte mais baixa do canal) tem 4 m de largura.
 
 
De acordo com o gestor, a intervenção se fez necessária, pois, anteriormente, a jusante do Córrego Bertioga se encontrava com o Rio Jundiaí apenas pela ligação que está praticamente a 90º de seu leito. Quando há volumes maiores de água, em razão das chuvas, a força do rio é maior e, em razão da angulação quase perpendicular, o volume do córrego acaba por regressar e ajuda a provocar alagamentos. 
 
Segundo Germano, o novo canal se encontra com o Rio Jundiaí a 45º, de forma que seu fluxo de água está bem mais próximo do sentido que o fluxo do rio estabelece. Dessa forma, não haverá mais a tendência de que as águas voltem e façam o caminho inverso, quando houver água em maior quantidade. 
 
Dessa forma, na avaliação do gestor, a ação deve acabar com possíveis alagamentos no Jardim do Lar, no trecho do córrego próximo à Praça da Bíblia.