Prefeitura de Várzea Paulista promove mutirão de castração

Saúde - Cotidiano
151 animais, entre cães e gatos passaram pelo procedimento cirúrgico, que foi realizado na Cemeb Erick Becker
 
No último sábado (25), a Secretaria de Saúde de Várzea Paulista realizou um mutirão de castração, que aconteceu durante todo o dia, na Cemeb Erick Becker, no bairro Cidade Nova 2. Entre cães e gatos, 151 animais passaram pelo procedimento cirúrgico e receberam chips de identificação. O serviço foi realizado através de uma emenda parlamentar do deputado estadual Beto Tricoli, no valor de R$ 30 mil. 
               
O prefeito Juvenal Rossi, participou da atividade e ressaltou a importância do serviço. “A castração é uma das maneiras mais eficientes na promoção do controle populacional dos animais”, explica. “Nosso intuito é promover uma mudança de comportamento nas pessoas, esperamos que ao oferecer o serviço de castração, a população se conscientize sobre a importância da posse responsável e trate, cada vez mais, os animais com respeito”, afirma Juvenal. 
               
De acordo com o secretário de Saúde, José Roberto Spinucci, o intuito é buscar mais verbas junto ao governo estadual para promover novos mutirões, além de aparelhar o Setor de Vigilância e Controle de Zoonoses para realizar cirurgias de castração. “Sabemos sobre a relevância do serviço para promover o bem estar animal e estamos empenhados em buscar verbas e melhorias, para que mais cirurgias aconteçam na cidade”, informa. 
               
O mutirão de castração beneficiou famílias cadastradas no Bolsa Família, na região atendida pelo CRAS Norte, e indicadas pelas assistentes sociais da Prefeitura. O serviço atendeu apenas animais previamente cadastrados. Segundo o coordenador técnico do setor de Vigilância e Controle de Zoonoses, Eder Lucio Carmanini. “Nosso intuito foi fazer o melhor trabalho possível para tentar mais verbas. Regiões como a da Promeca e Vila Real ainda podem ser beneficiadas”, relata o coordenador. 
 
               
Palestra
               
Para participar do mutirão de castração, os tutores dos animais tiveram que participar de uma palestra, com a médica veterinária Nanci Martinuzzo, no qual receberam orientações sobre os cuidados com os pré e pós-operatório dos animais. Além de assinar um termo de responsabilidade sobre a realização do procedimento. 
 
               
Mutirão
               
O coordenador do Instituto SOS Animais Peludos, responsável pela realização das cirurgias de castração, afirmou que os mutirões são uma forma segura de realizar a cirurgia. “A única diferença entre um procedimento na clínica e em um mutirão é que no primeiro o médico veterinário tem um acompanhamento sobre o histórico de saúde do animal”, explica. “Mas o sistema de mutirão segue todos os procedimentos necessários, com salas adaptadas, anestesia, prazos e cuidados cirúrgicos”, diz. Francisco informa que o instituto já realizou mais de 4 mil cirurgias em São Paulo.
               
A consciência sobre a responsabilidade nos cuidados com os animais deve ser permanente. “O animal não come sozinho, não toma banho sozinho, não se vacina sozinho. O dono deve oferecer pelo menos os cuidados básicos, como alimentação, água, abrigo, limpeza e cuidados médicos. Além de oferecer carinho e respeito”, explica o coordenador do instituto. 
 
               
Machos também devem ser castrados
 
A castração é um método eficiente para evitar a proliferação de animais e prevenir diversos tipos de tumores. “Na fêmea, todas as doenças ginecológicas, como de útero e mama ficam prevenidas”, informa Francisco. “E nos machos é possível notar um comportamento mais contido em relação à necessidade de procriação”, relata. “Muitas pessoas tem medo de castrar o cachorro, achando que ele ficará preguiçoso e não cuidará mais da casa, mas isso é um mito. A cirurgia no macho é mais simples e rápida, e pode ser feita sem nenhum receio”, afirma o especialista.