Várzea Paulista realiza a campanha “Não Passe do Limite!”

Saúde - Cotidiano
Município participa da campanha estadual para conscientizar sobre os riscos do benzeno
 
Na próxima quarta-feira (18), a Secretaria de Saúde de Várzea Paulista realiza no município a campanha “Não Passe do Limite! Complete o tanque até o automático”. O objetivo é conscientizar frentistas e a sociedade sobre os perigos de abastecer o tanque de gasolina “até a boca”, velho costume que contribui para o aumento da poluição do ar, além de oferecer sérios riscos à saúde humana, prejudicar o veículo e o Meio Ambiente. Técnicos da VA (Vigilância Ambiental) e VISAT (Vigilância em Saúde do Trabalhador) visitarão todos os postos do município, das 8 às 17 horas.
 
A campanha visa conscientizar o frentista sobre a importância de fazer uso do travamento automático da bomba e manter distância segura durante o abastecimento, evitando assim, a inalação dos vapores liberados pelo combustível durante o processo. Além do benzeno, diversas outras substâncias nocivas presentes na gasolina são liberadas durante o processo de abastecimento. Algumas dessas são comprovadamente cancerígenas. O travamento automático da bomba protege o trabalhador e o condutor do veículo.
 
 
Além do limite
 
Ao abastecer o veículo além do limite automático, os frentistas e clientes expõem-se mais aos vapores da gasolina, que contém diversas substâncias químicas invisíveis ao olho humano, mas extremamente perigosas à saúde.
 
Em curto prazo, a gasolina e seus vapores podem causar dores de cabeça, tontura, náuseas, vômito, irritação à pele e aos olhos, sonolência e vertigem. Em longo prazo, a exposição provoca danos ao Sistema Nervoso Central, ao sistema sanguíneo e ao fígado. Além disso, pode causar defeitos genéticos – no caso de mulheres gestantes -, câncer e prejuízos à saúde da pessoa que inalar os vapores. Os vapores também são prejudiciais ao Meio Ambiente e podem causar sérios danos.
 
Como medida preventiva para controlar as emissões, todos os veículos fabricados a partir de 1986 possuem o cânister, dispositivo conectado ao tanque de combustível que controla as emissões de vapores tóxicos. Ao abastecer além do limite, pode-se danificar o cânister do carro e causar a liberação desses vapores no ar.