Prefeitura promove 1º Fórum de Políticas Públicas sobre Drogas

Desenvolvimento Social - Destaques

Encontro serviu de base para criação do Conselho Municipal de Drogas

A Secretaria de Desenvolvimento Social de Várzea Paulista realizou, na última sexta-feira (23), o 1º Fórum de Políticas Públicas sobre Drogas, no auditório da Faculdade Padre Anchieta. Mais de 200 servidores públicos e lideranças de organizações de ajuda aos dependentes químicos e enfrentamento do uso de entorpecentes estiveram presentes. Os participantes assistiram a várias palestras sobre as políticas públicas de combate às drogas e discutiram as diretrizes para a criação de um órgão municipal com intuito de enfrentar o problema. 
 
Trata-se do Comad (Conselho Municipal de Ações sobre Drogas), cuja criação está prevista ainda para o primeiro semestre, após os trâmites legais necessários.
O prefeito Juvenal Rossi destacou a importância do engajamento da sociedade, a fim de melhorar a qualidade de vida no município e inibir o uso de drogas, e suas consequências, na cidade. Nesse sentido, o novo órgão será fundamental, em sua visão, para identificar as demandas específicas de Várzea Paulista e adotar estratégias de enfrentamento. “É preciso saber se todos estão destinados e com boa vontade para atingir os objetivos” – explicou – “nós precisamos comprar essa guerra de uma maneira salutar, ordeira, pensada“. 
 
Política Pública
 
A importância de formular políticas públicas municipais foi endossada pelo primeiro palestrante, o coordenador geral de Projetos Estratégicos, da Senad (Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas), Dr. Robson Rosin. O gestor também abordou a Política Nacional sobre Drogas e sua importância, cujo cerne é a ênfase à orientação dos usuários e combate ao uso de entorpecentes, e não mais a simples repressão. 
 
As novas diretrizes federais abordam o tema de maneira ampla, inibindo inclusive os vícios em inibidores de apetite, açúcar ou drogas legalizadas, como o álcool, de acordo com o gestor. Esses são primeiros passos para a aquisição de vícios em drogas mais pesadas. Por essa razão, ele apontou a necessidade de estimular um novo comportamento preventivo em toda a sociedade. “Vocês têm que aprender uma cultura sobre drogas”.
 
O rigor científico e constante aprimoramento técnico serão fundamentais, por parte dos membros do Comad, segundo Rosin. A especialidade e os conhecimentos específicos dos pesquisadores e agentes da saúde deverão ser reconhecidos e respeitados, a fim de estudar a gênese desses problemas. Os demais membros serão importantes para deliberar, com base nos estudos vigentes e na opinião dos especialistas no assunto. “Nós somos facilitadores”.
 
Conselhos
 
O segundo palestrante, Dr. Luiz Rossine, membro do Coned (Conselho Estadual sobre Drogas), também ressaltou a importância dos conselhos, por permitirem a criação de políticas públicas. As ações, previstas pela Constituição Federal de 1988, são importantes, pelo caráter permanente e por possibilitarem maior participação da sociedade civil, por meio dos conselhos municipais. “Nós estamos participando de um projeto de salvação da humanidade”.
 
O vereador explicou que as políticas públicas surgem em razão de uma demanda social ao poder público e devem sempre ser permeadas pela preocupação preventiva ao uso de drogas. O consumo excessivo de álcool, por exemplo, deve ser devidamente combatido. 
 
Com relação ao Comad, o palestrante defendeu a importância da pluralidade de seus membros e do constante debate produtivo. “Ele vai ser tanto mais rico, quanto mais diversificado for”, explicou.
 
Combate ao uso de drogas
 
Outra presença importante foi a do deputado Dr. Fernando Capez, com vasta experiência no combate ao uso de entorpecentes, como procurador do Ministério Público de São Paulo. Em sua palestra, ressaltou a complexidade da questão e a necessidade do trabalho preventivo com os jovens. 
 
Faz-se necessário ocupar o tempo das crianças e adolescentes de maneira produtiva e estimular, dentro das escolas, por exemplo, o convívio familiar, o entretenimento e a fraternidade. “Nós perderemos a guerra, se concentrarmos nossas forças fundamentalmente na repressão”. 
 
O cardiologista, Dr. Cláudio Miranda, parabenizou a Prefeitura pela iniciativa. Com grande experiência com comunidades terapêuticas, enfatizou o papel fundamental das redes regionais sobre drogas. 
 
 Para fechar a parte instrutiva do evento, a médica Carla Montalto abordou a questão dos danos causados pelas drogas. As informações serviram de base aos futuros integrantes do Comad.