Defesa Civil estuda áreas para estações meteorológicas

Casa Civil - Destaques
Novos aparelhos serão fornecidos pelo Governo Federal, para monitorar o tempo em toda a cidade
 
O diretor da Defesa Civil, Cristiano Vargas visitou, na última segunda-feira (19), vários pontos de Várzea Paulista, onde serão instaladas estações meteorológicas de última geração. Quatro aparelhos serão fornecidos pelo Governo Federal, cuja instalação deve ser feita até o final deste ano. Nas vistorias, também esteve presente a consultora Érica Goto, da UNESCO. A empresa é prestadora do Cemaden (Centro Nacional de Desenvolvimento e Alertas em Desastres Naturais).
 
Segundo Vargas, com a nova tecnologia, os agentes do município acessarão dados meteorológicos em tempo real, como umidade do ar, temperatura e índices pluviométricos. Será possível, por diferentes pontos, ter uma visão da cidade, de modo geral, prever e proteger o município de desastres naturais, de forma adequada. Um histórico do clima varzino também poderá ser formatado. “Os dados ficam armazenados”, explicou.
 
Outra vantagem será a possibilidade de qualquer cidadão acessar os dados pelo site www.cemaden.gov.br. De acordo com Érica, após o primeiro período de chuvas, no qual serão testados os pluviômetros, os índices estarão disponíveis. “Os dados são públicos”.
 
Sobre o Cemaden
 
Em operação desde dezembro de 2011, o órgão monitora, desde maio do ano seguinte, 130 municípios. A equipe multidisciplinar do Cemaden é compostas de profissionais especializados em diversas áreas de conhecimento (meteorologistas, hidrólogos, geólogos e especialistas em desastres naturais). Novas parcerias têm sido feitas desde então, como a que se dá com Várzea Paulista.
 
O Centro funciona de maneira ininterrupta. A Sala de Situação dispõe de gabinete de crise: sistema de telepresença, computadores e sistema de emergência para fornecimento de energia elétrica.
 
A linha de ação prioritária tem como meta emitir alertas sobre possíveis ocorrências de deslizamento de encostas, enxurradas e inundações em áreas de risco mapeadas em diversos municípios.
 
Outros eventos deflagradores de desastres naturais também serão abordados, tais como secas, ressacas, vendavais, granizos, etc.