APAE de Várzea Paulista comemora o Dia do Autista

Casa Civil - Destaques
Nesta quarta (2) a APAE de Várzea Paulista comemorou o Dia do Autista com números musicais e a presença do prefeito Juvenal Rossi. O objetivo foi conscientizar a comunidade sobre a doença. 
 
Segundo o diretor técnico da entidade, Luis Antônio Lopes Garcia, o evento encerra uma série de atividades realizadas na instituição, em comemoração à data, ao longo da semana. Entre outras ações, foram feitas palestras, reuniões e orientações às famílias. 
 
Garcia conta ainda que o trabalho realizado com 118 alunos autistas é pautado no aluno, nos funcionários e na família e funciona bem porque há parceria entre eles. Os profissionais são especializados, o que tem garantido bons resultados, de acordo com o gestor.  “Hoje conseguimos detectar mais cedo o autismo e, assim, conseguir um progresso maior. Além disso, o envolvimento da equipe e da família e o carinho fazem com que o aluno consiga desenvolver-se nas três áreas em que têm mais dificuldade: a comunicação, a socialização e a comportamental”.
 
O prefeito Juvenal Rossi se emocionou com a apresentação do clube de mães e com o carinho com que foi recebido pelos alunos. Orgulhoso de estar presente na comemoração que busca a conscientização e em perceber a dedicação e o carinho dos profissionais envolvidos. “Se alguém me perguntar se existe amor em nossa cidade eu vou dizer: visite a APAE e vão perceber através do trabalho da entidade o que é o amor”.
 
Ele lembra que a APAE de Várzea Paulista é referência no trabalho com autistas e que recebe também alunos de outras cidades onde não existe esse atendimento.
Claudia Regina Diniz Ferreira, assistente técnico pedagógica de educação especial de Francisco Morato, esteve presente e também se emocionou. Para ela, o trabalho na instituição é uma referência. De sua cidade, por exemplo, conta que são atendidas 44 crianças. O trabalho envolve toda a família. “Há uma mudança comportamental do aluno e da família. Hoje eu tenho prazer em ver os alunos autistas inseridos na sociedade, indo a lanchonetes, no mercado, participando de diversas atividades. Isso eu acredito que está sendo concretizado com o trabalho da APAE”.
 
Keila Barbosa, cuja filha de 13 anos é aluna da escola, conta que vem todos os dias de Morato com a filha e participa do Clube das Mães. O grupo confecciona artigos artesanais. A mãe tem muito a agradecer à APAE varzina, pois, graças ao trabalho da instituição, viu filha se desenvolver. Hoje, a garota tem autonomia para fazer muita coisa sozinha. “A instituição trabalha com as crianças e com as famílias. Nós mães chegamos aqui perdidas e aqui temos um acolhimento, atendimento e orientação de como lidar com nossos filhos”.