Apae busca parceiros para projeto “Padrinho Especial”

Casa Civil - Destaques
Entidade de Várzea Paulista busca doadores que ajudem nos custeios da unidade
 
Atualmente a Apae de Várzea Paulista atende 749 pessoas portadoras de deficiência mental, síndrome de Down, paralisia cerebral e autistas, além de oferecer apoio a suas famílias. A entidade filantrópica se mantém por meio de subvenções, eventos e doações. 
 
E para aumentar o número de contribuições, que são de extrema importância para a manutenção da entidade, nesta sexta-feira (14), o prefeito Juvenal Rossi, secretários municipais e vereadores, participaram de uma palestra na entidade, sobre os trabalhos desenvolvidos pela associação e conheceram o projeto “Padrinho Especial”. 
 
De acordo com o diretor técnico escolar, Luiz Antonio Lopes Garcia, que conduziu a apresentação, o projeto “Padrinho Especial” consiste em uma doação, no valor de R$ 370,00, que pode ser pago à vista, ou em até 10 vezes. “Hoje já contamos com cerca de 160 padrinhos, mas nossa demanda de atendimento é alta e precisamos das doações para manter nossos serviços”, explica. 
 
O prefeito Juvenal Rossi, que atua na Apae desde sua fundação, há 28 anos, é um grande propagador do projeto de apadrinhamento. “Esta receita é muito importante para os trabalhos da Apae”, diz. “Os padrinhos podem acompanhar o que é feito no dia a dia da entidade e ver como esse serviço faz a diferença na vida de muitas famílias”, afirma. “Essa pequena doação contribui para um atendimento de qualidade, que faz da nossa Apae uma referencia regional”, enfatiza. 
 
Seja um Padrinho Especial
 
Os interessados em ser um Padrinho Especial devem comparecer até a Apae e preencher um cadastro. Os doares recebem um boleto com o valor da doação e no final do ano, participam de um jantar especial, no qual é apresentado o trabalho da entidade. 
 
A Apae de Várzea Paulista está localizada na Rua Alberto de Oliveira, 55 – Jd. Cruz Alta. Mais informações através do telefone 4493-6342 ou do e-mail: secretariaapaevarzea@terra.com.br
 
Números
 
Segundo os dados passados durante a palestra, a cada ano, a procura pelos serviços da entidade aumentam. “Queremos fazer muito mais, mas nossas condições nem sempre são favoráveis”, explica Luiz Garcia.
 
Atualmente a Apae de Várzea Paulista atende 749 pessoas portadoras de deficiência mental, síndrome de Down, paralisia cerebral e autistas, além de oferecer apoio a suas famílias. Deste total, 62% são homens e 6% tem vinculo familiar em 1º grau com deficiência. 
 
A entidade oferece diversas atividades, como o Programa de Intervenção Precoce e Ambulatorial, Ensino Infantil, Ensino Fundamental, Programa de Atendimentos Especial em Autismo, Centro de Treinamento Profissionalizante, Grupo de Apoio à Inclusão Social, Centro Ocupacional Pedagógico, Unidade de Cuidado Diurno, Centro de Equoterapia e Centro de Atendimento Educacional Especial. 
 
Além das atividades Extra Classe, que são: capoeira, musicoterapia, dança, fanfarra, ginástica rítmica, informática, educação física, educação artística, tecido acrobático, teatro e arteterapia.