Prefeito Juvenal Rossi é eleito presidente do Conselho Consultivo do Cias

Casa Civil - Destaques

Secretário de Infraestrutura Urbana, Renato Germano, foi eleito presidente do Conselho Fiscal

Na manhã da última terça-feira (16/4) os membros do Conselho Consultivo do Cias (Consórcio Intermunicipal do Aterro Sanitário) – composto pelos municípios de Campo Limpo Paulista, Cajamar, Várzea Paulista, Jundiaí, Vinhedo e Louveira – elegeram, por consenso, o prefeito de Várzea Paulista, Juvenal Rossi (PV) como seu novo presidente para 2013. A escolha – ocorrida no Paço Municipal de Jundiaí – se deu pelo fato de Várzea Paulista ser a cidade onde se localiza o Aterro e pela capacidade de diálogo do gestor. O prefeito de Cajamar, Daniel Fonseca (PSDB), foi eleito vice-presidente.

No encontro foram eleitos também os membros do Conselho Fiscal. Para presidente foi escolhido o secretário de Infraestrutura Urbana de Várzea Paulista, Renato Germano. Seus componentes, indicados pelos prefeitos, são responsáveis por se reunir, em geral, a cada seis meses. Seu objetivo é gerenciar as contas do Cias e levar sugestões de melhorias ao Conselho Consultivo.

Após a apresentação técnica sobre a importância do Cias para a prevenção de acidentes nas residências e vias circunvizinhas ao aterro desativado, Juvenal Rossi ressaltou a importância que dará ao órgão, agradeceu aos presentes pela confiança depositada e afirmou sua vontade política de ouvir as sugestões dos outros membros do Conselho. Além disso, ponderou ser necessária a viabilização de medidas de autossuficiência financeira.  “O Consórcio tem que se manter com autonomia”, afirmou.

Sobre o Cias

O Cias (Consórcio Intermunicipal do Aterro Sanitário) tem como função evitar acidentes no aterro sanitário desativado em março de 2006, por meio de acompanhamento técnico detalhado do território e intervenções técnicas.

De lá para cá têm sido tomadas medidas importantes, terceirizadas, como as seguintes:
– Construção do Parque das Orquídeas, sobre a área mais antiga e plana do aterro;
– Impermeabilização do sólido de matéria orgânica (lixo em decomposição);
– Monitoramento, tratamento e destinação dos gases nocivos gerados pelo lixo, de modo que as taxas de emissão não sejam nocivas;
– Drenagem e destinação do chorume (líquido de forte odor e com alto potencial de contaminação) gerado pela decomposição do lixo e destinação à ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) de Jundiaí;
– Acompanhamento do nível da parte instável do aterro;
– Contratação dos serviços da Umwelt Consultoria Ambiental, que faz relatórios técnicos trimestrais, enviados ao Ministério Público e à CETESB (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental), que avaliam as informações e sugerem medidas.
 

Próximos encontros

O Conselho Consultivo deve se reunir em breve em Várzea Paulista, no antigo aterro, para verificar as condições do local e buscar também alternativas econômicas para tratamento de lixo das seis cidades representadas no Cias. Não há periodicidade específica para os encontros, que podem ser solicitados ou não pelo Conselho Fiscal.