Assistente social conscientiza jovens sobre importância do diálogo entre gêneros

Desenvolvimento Social - Destaques

Com palestras, peruana Soledad Spyer trata de sexualidade e importância do homem na erradicação da violência doméstica


 

A assistente social peruana, Soledad Spyer, palestrou, na última quarta-feira (27), no Observatório da Juventude, às 10 e 14 horas, a mais de 40 jovens, entre usuários do próprio local e dos CRAS´s (Centros de Referência em Assistência Social) de Várzea Paulista. Ela abordou a sexualidade e algumas ações possíveis à masculinidade com o fim de erradicar a violência contra a mulher. “Quero falar com os jovens para que, quando adultos, criem a cultura do diálogo”.

O sexo feminino tem bastante proteção da lei, segundo ela, razão pela qual preferiu abordar mais a masculinidade, uma vez sua construção social muitas vezes provoca comportamentos violentos.

Segundo ela, a violência contra a mulher atinge em geral toda a família da vítima.

Este ano, os responsáveis pelo espaço querem envolver, mais vezes, todos os jovens dos CRAS´s e do próprio local.

Novas ações para a juventude

O supervisor administrativo de Desenvolvimento Social, Júlio Szabo, presente no local, destacou a importância dos projetos a serem desenvolvidos em 2013, nos campos da Educação, Esporte e Cultura. Frisou também a relevância do envolvimento dos jovens, que podem sugerir novas ações. “Nada aqui vai funcionar se vocês não participarem”.

O coordenador do Observatório, Fernando Pasqualino, responsável por todos os trabalhos da Prefeitura voltados à Juventude, ressaltou a importância da assiduidade em todos os eventos promovidos a partir de agora. “Sem isso, não teremos como justificar o investimento do poder público em vocês”, afirmou.

Próximos trabalhos

Soledad Spyer gostou da oportunidade e não descarta realizar, em breve, oficinas com temas específicos, em Várzea Paulista. “Talvez no futuro possamos fazer trabalhos mais sistematizados”, projetou.

Trajetória de trabalhos sociais

Soledad Spyer é assistente social graduada, pela UFU (Universidade Federal de Uberlândia), e mestra em Políticas Sociais com menção ao Gênero, pela UNMSM (Universidad Nacional Mayor de San Marcos), de Lima, Peru. Ela tem vasta experiência em toda a América Latina, na promoção dos direitos humanos (crianças e mulheres), incentivo à participação comunitária e desenvolvimento social. No final da década de oitenta, exerceu o cargo de coordenadora do Programa de Apoio y Defesa dos Direitos das Mulheres, em Uberlândia, Minas Gerais.