Prefeitura entrega Incubadora de Empreendimentos de Economia Solidária

Casa Civil - Destaques

Nesta quinta-feira (20), o prefeito Eduardo Pereira entregou, às 15h30, o novo prédio da Incubadora Pública de Empreendimentos Econômicos Solidários de Várzea Paulista, que funcionava em um espaço do Centro Público da Economia Solidária desde dezembro de 2011. Pereira parabenizou a todos os envolvidos e ressaltou a importância dada aos projetos sociais, em seu mandato. “Esse projeto é um exemplo para todo o Brasil. Já houve visitas de políticos de São José dos Campos, que ficaram impressionados”, comemora.

A iniciativa foi viabilizada através de um convênio com a Secretaria Nacional de Economia Popular do Ministério do Trabalho, viabilizando a reforma e a adequação do novo prédio, situado na Rua Pedro Poloni, 39, Centro.

A Incubadora tem como principal objetivo criar condições para que os empreendedores varzinos se organizem no trabalho coletivo e autônomo, tendo capacidade para administrar e fazer a gestão de seus negócios e promover a formação técnica e política, oferecendo todo o suporte necessário, inclusive a  infraestrutura física. Cada um dos integrantes, nesse modelo de economia solidária, ganha por aquilo que trabalha individualmente e só deve recolher 10% para o fundo, que depois pode ser usado para o início de um negócio próprio do grupo ou até mesmo de cada um dos integrantes.  

O projeto oferece apoio e assessoria a novos empreendimentos com os cursos de formação (aulas teóricas e práticas) já existentes, e também irá auxiliar aqueles que já foram criados por meio dos cursos oferecidos pelo Programa de Economia Solidária (Ecosol) em áreas específicas, entre eles, alimentação, artesanato, construção civil e informática, proporcionando qualificação e assistência técnica durante o período de incubação (período de atividade profissional assistida), através de oficinas de finanças e marketing, cursos de capacitação, além de apoio na divulgação da empresa, entre outros. Durante o curso (em geral de 6 a 8 meses), os alunos têm aulas teóricas e práticas. Depois disso, a incubação dura quase sempre um ano, mas o empreendimento pode usar o espaço da prefeitura por mais tempo, caso renove o contrato, por um ou mais anos.

O vice-prefeito Lula destacou que a participação foi muito importante. “Governo bom é o que cuida das pessoas e sabemos que esse projeto ajuda a população a construir sua vida”, comemora.

A supervisora do Programa de Economia Solidária (Ecosol), que abarca, entre outros projetos, a incubadora, destaca que Várzea Paulista é a única cidade brasileira que mantém cinco projetos de economia solidária.

Uma das participantes atuais é Elisabete Moreira, manicure e pedicure na Casa da Beleza, salão de beleza ao lado da Prefeitura Municipal. Ela e outras profissionais abriram, com o auxílio da Prefeitura, o empreendimento Grupo Único. Há um ano e cinco meses, entre o curso e a prática, ela destaca a melhora no atendimento ao público, desde que iniciou a capacitação oferecida pela incubadora.

Mais empolgada e grata ainda está a cabeleireira Elidiane Melo. Ela também trabalha na Casa da Beleza e ressalta que teve apoio psicológico e ótimas aulas nos cursos de capacitação, além da oportunidade de adquirir experiência. “Passei a acreditar em mim. Era mãe solteira de quatro filhos e agora, além do trabalho aqui, sou casada, estudei logística, mantenho outro emprego, comprei móveis. A capacitação e a motivação andam juntas”.

Ela não tem dúvida de que o projeto tem de continuar por muito tempo e auxiliar outras pessoas, assim como os outros projetos sociais vigentes. “Meus filhos entraram em um projeto e, depois que foram encaminhados à assistente social, ela percebeu que toda a família precisava de ajuda e conheci o projeto. Sou a prova viva de que funciona”.