Mulheres aprendem a ser empreendedoras em oficinas oferecidas pela Prefeitura

Desenvolvimento Social - Destaques

 

O tema desenvolvido na tarde desta terça-feira (21) tratou da autonomia produtiva feminina

 

O plano de desenvolvimento local na região do Jardim Promeca, “Todas por todos na construção de uma cidade mais empreendedora”, oferecerá oficinas para as mulheres do bairro durante o mês de agosto e início de setembro. Na tarde desta terça-feira (21), o tema da atividade foi “Mulheres empreendedoras e Economia Solidária”.

Por meio de teatro de fantoche, interpretado por mulheres do grupo “Todas por todos”, as mulheres presentes foram apresentadas ao conceito de Economia Solidária. “A Economia Solidária é uma outra economia acontecendo, é um trabalho em cooperativa, onde o grupo decide desde os materiais que serão utilizados até a divisão do valor adquirido com o produto final, tudo dividido em partes iguais, até as despesas”, dizia uma das fantoches femininas.

A outra personagem fantoche acrescentou o significado de incubadora ao vocabulário do público. “A incubadora serve para obter sucesso por seu trabalho e em Várzea Paulista existe oCentro de Economia Solidária, que é o equipamento público no qual está localizada a incubadora da cidade que reúne diversos empreendimentos como a Casa da Beleza, o Delícias e Café e a Casa do Artesão. Além disso, é o local onde são desenvolvidos os diversos cursos de capacitação como o de pequenos reparos na construção civil, pintura, textura e grafiato”.

Após a apresentação desses empreendimentos solidários, o público assistiu a uma peça teatral, chamada “Vai ter BO, vai ter!”, do grupo Centro e Formação Mulher, fundado em 1992 por mulheres que passaram por situação de violência.

O enredo trouxe a tona a história de Macabéa e Olímpico, nomes extraídos  da obra de Clarice Lispector, ”A Hora da Estrela”, que apresenta o comportamento dos gêneros em suas relações sociais. No decorrer das cenas, eles têm suas identidades construídas e assumem representações de “ser-mulher” e “ser-homem” segundo paradigmas inventados pela cultura do século XX, ou seja, refere-se à ideia de que à mulher está reservado o espaço privado, ou seja, a  casa, a vida doméstica com todas as suas obrigações, como: cuidar dos filhos, do marido e do lar. Diferentemente, ao homem cabe o espaço público onde exerce o poder, designa as leis e normas sociais e ordena as diversas esferas da vida coletiva e individual.

 

Mais oficinas

 

As oficinas estão acontecendo sempre às 14h e os temas abordados são variados. No dia 14 de agosto, o assunto da atividade foi “História do bairro e suas mulheres”.

No dia 28 de agosto, as mulheres poderão refletir acerca da atuação no mercado de trabalho, na Chácara São José, com a oficina “Saúde, Trabalho e Flexibilidade para Mulheres”. Já no dia 04 de setembro, o tema trabalhado será “Despertar para a autonomia produtiva”; no Ginásio de Esportes Jordan Dias Fernandes.

 A supervisora do departamento de Economia Solidária, Luciane Mosca esclarece os objetivos da ação nesta área da cidade. “Trazemos esse projeto e o tema para a região da Promeca para debater questões relativas ao trabalho, empreendedorismo social e valorizar as mulheres no território. A intenção é promover esse debate no bairro, descobrir os potenciais produtivos femininos da região e mostrar quem são as mulheres empreendedoras de cada área”.