Prefeitura e IAB divulgam resultado do Concurso Nacional para o Projeto do Paço Municipal

Casa Civil - Destaques

Três projetos foram finalistas, mas apenas um foi escolhido para criação do Paço

Nesta sexta-feira (17), o prefeito Eduardo Pereira e representantes do IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil) divulgaram o resultado do Concurso Público Nacional para o Projeto Arquitetônico do Paço Municipal. Também estavam presentes no local, a Presidente e a vice-presidente do IAB de Jundiaí, Mônica Fonseca e Mariangela Mazzola, o Arquiteto, Araken Martinho e o Secretário de Gestão Pública, Carlos Maldonado.

Dos 68 projetos entregues e 102 arquitetos inscritos, apenas três  chegaram à final, sendo o primeiro lugar para uma equipe de Brasília, composta pelos arquitetos Eder Rodrigues de Alencar, Cláudio de Sá Ferreira, Nonato Veloso, Rodrigo Rezende da Cruz e Marcelo de Oliveira Silva. O grupo apresentou planta com área geral de 19 mil metros, contendo, um prédio com 18 pavimentos que compreende os poderes Executivo e Legislativo, área com Teatro, Biblioteca e Telecentro, além de praça seca. Já o segundo lugar ficou para Sorocaba e o terceiro para São Paulo. Os três primeiros colocados também receberão prêmios na a importância de 50 mil reais para o primeiro colocado (mais contrato com honorários de R$ 500 mil),  R$20 mil para o segundo, e R$ 10 mil para o terceiro.

Ao falar da iniciativa, Eduardo explicou que ela é uma consequencia de toda a transformação que foi promovida na cidade. “No nosso governo tiramos a cidade do atraso. Resolvemos problemas básicos como falta de água, infraestrutura precária, ausência de um hospital público e de tratamento de esgoto. Hoje vivemos uma outra realidade. O orçamento municipal que em 2004 era de R$ 52 milhões, esse ano é de R$ 200 milhões. Tudo isso nos coloca em um momento propício para buscarmos projetos da magnitude de um novo Paço Municipal, à altura do atendimento que os varzinos merecem”.

Eduardo destacou outros prédios que fazem parte do projeto e que integrarão o projeto de novo centro da cidade, um dos aspectos norteadores do concurso. “Temos a Praça de Esporte e Lazer, que será construída com recursos federais, a nova Estação da CPT entre outras estruturas. Mais uma vez estamos em busca de critérios sociais e econômicos para viabilizar nossos projetos”.

A presidente da IAB, Mônica Fonseca, também disse estar contente por ser participante da parceria, e elogiou a atual administração. “ O governo de Várzea Paulista é um exemplo de democracia. O concurso foi um sucesso, já que tivemos um grande número de inscritos, comparado com os resultados de outras iniciativas, e de todas as partes do país, desde o Rio Grande do Sul, até o Rio Grande do Norte. ”, comenta.

Para que a escolha do trabalho desenvolvido pelos arquitetos  atendesse à todas as exigências da IAB, também foram utilizados critérios de avaliação como, contextualização urbana, programa de necessidades, viabilidade técnico construtiva, sustentabilidade socioambiental, entre outros. Além disso, outro quesito avaliado pela Comissão Julgadora foi a acessibilidade, isto é, o respeito à legislação geral que dispõe sobre as facilidades para as pessoas com deficiências físicas diversas; soluções integradas e harmônicas com as utilizadas pelos demais usuários.

O arquiteto e secretário adjunto de Gabinete da Prefeitura, Araken Martinho, elogiou a inicativa do governo municipal de Várzea Paulista em desenvolver um projeto com planejamento. “O que notamos na nossa região é uma grande especulação imobiliária, que não leva em conta o entorno dos empreendimentos e envolve pessoas que não têm vínculo nenhum com as cidades, senão o financeiro. Aqui em Várzea Paulista vimos um projeto ser escolhido de forma democrática e, o mais importante, valorizando a figura do arquiteto e sua capacidade de integração urbanística do Paço com a constituição de um novo centro proposto para Várzea Paulista”.