Eduardo e Lula lançam obras de drenagem do Córrego Bertioga

Casa Civil - Destaques

Investimento da Prefeitura para solucionar o problema de enchentes no local é de R$ 10,2 milhões, provenientes de recursos do PAC II

A Prefeitura de Várzea Paulista deu início, nesta terça-feira (24), as obras de drenagem e urbanização do Córrego Bertioga, que solucionarão o problema histórico das enchentes no local. O lançamento das obras foi feito pelo prefeito, Eduardo Tadeu Pereira, e seu vice, Lula Raniero, no cruzamento entre as avenidas Fernão Dias Paes Leme e Bertioga, em meio à maquinas e a equipe de funcionários da empresa Capelano, vencedora da licitação. O prazo de execução das obras é de dois anos e o investimento de R$ 10,2 milhões.

Para o prefeito Eduardo, está é uma das obras mais importantes de sua administração. “A região em torno deste córrego é a mais populosa da cidade e temos aqui um problema histórico. Com essa obra iremos corrigir este problema que se acumulou ao longo dos 47 anos de história de Várzea”, explicou. O vice-prefeito Lula Raniero ressaltou que as obras são uma conquista para os moradores e fruto de muito empenho do governo para conseguir captar recurso do PAC II para sua realização. “Conseguimos esse recurso graças ao empenho desta administração que vem dialogando com o governo federal para garantir melhorias na vida dos varzinos. Estamos nos empenhando nesse projeto desde 2007”, afirmou.

Os estudos de macrodrenagem dos córregos da cidade tiveram início em 2007 e foram inscritos no FEHIDRO (Fundo Estadual de Recursos Hídricos), que, em 2009, aprovou o repasse de recursos para a elaboração do projeto. Em 2010 o projeto foi selecionado pelo PAC 2 e o contrato com a Caixa Econômica Federal foi assinado em agosto de 2011, sendo liberado então o processo licitatório. De acordo com o coordenador de obras, Marco Augusto, nos próximos dias será feita a limpeza do local para receber as próximas etapas da obra. “Após realizar esta limpeza seguiremos um cronograma com base no projeto das obras. Entre 30 e 50 pessoas devem trabalhar nas etapas da obra”, informou.

Os moradores e trabalhadores da região serão os mais beneficiados pelas obras. Muitos deles compareceram ao evento para prestigiar mais um momento histórico da cidade de Várzea Paulista. Para Juliano de Oliveira, que trabalha em uma farmácia na Avenida Bertioga, as obras valorizam o comércio local. “Antes as ruas ficavam impedidas pela água das chuvas. Quando a obra for concluída não teremos mais esse problema e os comércios e empresas daqui serão mais valorizados”, conta. Já para João Luiz Menardo, que possui uma empresa na região, “as obras de canalização e escoamento da água trarão muitas melhorias a quem passa pelos entorno do córrego e contribui para deixar o local mais ajeitado”, ressalta.

Cronologia das obras

As obras no córrego da Bertioga se estenderão do cruzamento entre as avenidas Fernão Dias Paes Leme e Bertioga até as ruas Padre Jordan e Rua das Alocacias. Serão duas frentes de trabalho, sendo uma nas proximidades da Chácara Mall e a segunda nas Ruas Padre Jordan e Rua das Alocacias.

Na primeira frente será feito tratamento do canal do córrego a céu aberto utilizando concreto tipo gabião colchão com tratamento de toda a encosta do córrego. Além disso, está prevista a remoção do muro existente no local para execução de parque linear. A obra prevê ainda a construção de um novo sistema viário para ligar a Avenida Fernão Dias Paes Leme à Rua Atroaris. Na segunda frente de trabalho, que terá início nas ruas Padre Jordan e Rua das Alocacias será construído um piscinão para contenção do córrego Bertioga e seus afluentes. O reservatório possuirá capacidade para aproximadamente 40 milhões de litros.

Entenda a obra

Travessias

O estudo de macrodrenagem realizado no córrego apontou que as travessias existentes no local estão subdimensionadas e que isso cria problemas para as encostas e para o andamento do córrego. Entre os problemas estão erosões e o impedimento da passagem da água de forma normalizada.

O projeto de correção das travessias visa aumentar e melhorar a vazão de água, regularizando o sistema de travessias do córrego Bertioga.

Parque Linear

A implantação de um parque linear contribui para urbanização do córrego e funciona também como uma válvula de escape para evitar que em dias de fortes chuvas haja enchentes. Na prática, além de ser uma área agradável, o parque linear funciona como um dispositivo de segurança que impede transbordamento e inundações.

Canalização aberta

A canalização aberta serve para corrigir problemas de encostas e definir o volume adequado de fluidez da água para que não haja transbordamento e inundações.

Piscinão

Consiste em um imenso reservatório com capacidade para aproximadamente 40 milhões de litros, que controlará o fluxo da água para a extensão do córrego através de um sistema automático de esvaziamento por gravidade. As obras no córrego implantarão um sistema de retenção da água neste piscinão evitando problemas de enchentes na Avenida Fernão Dias Paes Leme e Rua Costa e Silva.