Várzea 2022: Fórum de Delegados Jovens fecha pacotes de demandas em reunião com a Prefeitura

Casa Civil - Destaques

Na tarde da última segunda-feira (04), os jovens de Várzea Paulista tiveram a oportunidade de discutir o destino da verba de R$ 200 mil que serão utilizados em demandas para a juventude da cidade a curto, médio e longo prazo por meio do Fórum Centralizado dos Delegados do Orçamento Participativo Jovem, mais uma atividade que faz parte do Plano Várzea 2022.

Na semana passada, uma reunião foi iniciada, quando os delegados do OP Jovem representaram os interesses do público e puderam dialogar com alguns técnicos da Prefeitura, das áreas de  Educação, Esporte, Cultura, Educação e  Obras Públicas que estiveram presentes para dialogar e discutir a viabilidade das propostas feitas pelos jovens.

Neste momento, eles voltaram a debater as possibilidades de montar pacotes de acordo com as necessidades apontadas, como cursos profissionalizantes na área administrativa e de indústrias, reformas de locais públicos frequentados pelos adolescentes e cobertura do Parque das Orquídeas. Também foram apontadas demandas por mais materiais esportivos, instrumentos musicais, locais para apresentação de shows  e oficinas culturais.

Atendendo às demandas de todas as unidades dos CRAS, a Prefeitura ofertou muitas oportunidades de cursos pelo SENAC, pelo Programa Educação para o Trabalho (PET) para os adolescentes entre 14 e 17 anos como: Desenvolvimento Humano e Desenvolvimento Pessoal, Comunicação, Atitude Empreendedora e Sistemas e Processos Organizacionais, no valor de R$ 32.900,00 que garante curso para 30 alunos durante um ano. Também foram oferecidos cursos na área de administração e indústrias, proposta proveniente da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Econômico do município em parceira com o SENAI, como aulas de RH, Almoxarife e Administração por R$ 11.000,00.

Os cursos de idiomas como inglês e espanhol na escola CNA também foram possibilidades abertas aos adolescentes. Com o custo de R$ 90 mil, duração de um ano, 80 vagas foram disponibilizadas.

Além disso, no âmbito relativo à Secretaria de Obras, foi proposta a possibilidade da reforma completa da Praça da Bíblia e também do Centro Cultural. A primeira teria investimento de R$200 mil e a segunda, R$150 mil. Outra proposta da pasta foi fazer a reforma parcial do Centro Cultural que custaria R$50 mil com melhorias na parte elétrica e telhado do local.
    
Na área de cultura, foram oferecidas de 20 a 30 vagas para aulas de violão com quatro horas semanais. Aulas de teatro, canto coral e de dança, com três horas semanais também apareceram no pacote disponibilizado, contabilizando um total de R$38.400,00. Equipamentos de som e instrumentos musicais como violões, saxofones e violinos foram orçados em  R$11.250,00.
 
    
Pacotes

Antes da decisão dos pacotes de demandas, a coordenadora do OP Jovem, Caroline Macedo, orientou os jovens para tomar decisão consciente. “Não é só uma questão matemática, a escolha dos pacotes também é uma questão de convicção. Vocês devem pensar na juventude da cidade, não apenas no grupo que está aqui agora”, aconselhou.

Reunidos, os jovens montaram cinco propostas que serão discutidas na Assembleia do OP Jovem em setembro. A primeira propôs a reforma parcial do Centro Cultural, aquisição de instrumentos musicais e três turmas para os cursos do PET, contabilizando um total de R$198.350,00.

A segunda proposta está toda voltada à área cultural e contemplou a reforma completa do Centro Cultural, oficinas culturais e aquisição de instrumentos musicais, somando um total de R$199.650,00.

Na proposição do terceiro pacote, a Praça da Bíblia apareceu como a única demanda já que a reforma custa o valor do investimento total disponibilizado para o OP Jovem, R$ 200 mil.

Na quarta possibilidade foram sugeridos reforma parcial do Centro Cultural, aquisição de instrumentos musicais, oficinas culturais e curso de inglês, totalizando R$189.850,00. Já quinta proposta, surgiram as seguintes demandas: curso de inglês, duas turmas do PET e oficinas culturais, o que resultaria em um pacote de  R$194.200,00.

Coletividade e Prioridades

Para a adolescente Gislaine Antonio de Lima, 14 anos, representante do CRAS Norte o fórum simbolizou um espaço para pensar na coletividade. “Foi interessante porque podemos pensar nos nossos objetivos e os de todos adolescentes da cidade”, avalia.

Adriele Arruda Joaquim, 14 anos, representante do CRAS Norte acredita que esta foi uma possibilidade de detectar as prioridades. “Eu achei super importante porque montamos os pacotes com aquilo que realmente precisamos, como cursos profissionalizantes e oficinas culturais”.

Simone Alves Batista, 16 anos, também do CRAS Norte diz que esse é um momento diferenciado dos demais. “Eu achei interessante porque perguntaram o que gostaríamos de fazer e decidimos juntos. A maioria do pessoal se abriu, antes nas reuniões descentralizadas, não tinha uma participação tão atuante assim”, destacou a adolescente.