Jovens pensam o futuro de Várzea Paulista

Casa Civil - Destaques

Com a criação do OP Jovem, a cidade ganha a participação protagonista e incisiva da juventude no seu planejamento de curto, médio e longo prazo

Em Várzea Paulista a participação da juventude é legítima. Com a criação do ‘OP Jovem’, além de reconhecer a importância fundamental de contribuição dos jovens, é lhes dado o poder de escolher e decidir o que querem para sua comunidade e para a cidade de uma forma geral, pensando a curto, médio e longo prazo.
O Orçamento Participativo marca o poder decisivo da população na gestão do governo de Várzea Paulista e a inserção do jovem de forma efetiva nas decisões da cidade, por meio do ‘OP Jovem’, vem reforçar o caráter popular e democrático da administração municipal.
Para a coordenadora do ‘OP Jovem’, Caroline Macedo, neste momento inédito em que o governo começa a planejar o futuro da cidade, os jovens não poderiam ficar de fora. “A juventude deve ser protagonista no projeto ‘Várzea 2022’, atuando de forma permanente em todo o processo para apontar necessidades e decidir prioridades. Eles nos surpreendem a cada reunião com posições firmes e conscientes. É a afirmação de que ninguém pensa mais o futuro que o jovem”, comemora Caroline.
 
 
Os primeiros encontros
 
A primeira fase do Orçamento Participativo Jovem iniciou em abril, com encontros regionais nos CRAS (Centro de Referência e Assistência Social) Central, Norte e Oeste. Nestas oportunidades eles foram interagindo e descobrindo suas potencialidades e ao conhecerem os mecanismos de arrecadação e destino do dinheiro público, perceberam que o OP Jovem é uma forma concreta de participação, ação e transformação.
Neste mês tiveram início as reuniões para tratar diretamente das demandas de cada região da cidade. Há também a escolha de representantes para a formação da Comissão Popular Jovem, que deverá se reunir com técnicos e autoridades para “discutir” as demandas apresentadas. Apesar da seriedade, os jovens aproveitam estes momentos para manifestar seus talentos artísticos e culturais, entre eles apresentação de coreografias de dança.
Em reunião na última quarta-feira (4) no CRAS Norte, os jovens apontaram prioridades para curto, médio e longo prazo. Entre as indicações foram registradas demandas como: cursos profissionalizantes; faculdade pública; maior diversificação na oferta de oficinas culturais (DJ, hip-hop, street dance, etc.) e para a região norte sugeriram a reforma do CRAS e a construção de um ginásio de esportes.
 
Fala jovem!
 
A região norte elegeu seis representantes para a Comissão Popular Jovem e três deles falaram da experiência em participar do OP Jovem. “Está sendo uma experiência inovadora. É um orgulho poder participar de um projeto em que o jovem tem voz e pode manifestar suas reivindicações”, comenta Juliana Rodrigues (15).
Para Aline Oliveira Villa (14), o OP Jovem é a oportunidade para que possam se encontrar e em grupo tomar as decisões. “Acho legal. É um incentivo para que o jovem se reúna e discuta em conjunto as necessidades do bairro e da cidade”, comemora Aline.
“O OP Jovem faz a gente se sentir útil. É a possibilidade que o jovem tem para interagir mais e expressar sua opinião, contribuindo para que nossa cidade e toda a população tenham um futuro melhor”, enfatiza Adrieli Vanessa Costa Silva (14).
No mês de junho haverá a ‘Caravana Jovem’, quando participantes do OP Jovem circularão por todas as regiões da cidade, para conhecer as demandas de outros bairros e todos os serviços que a cidade oferece.