Seminário dos Agentes Multiplicadores reúne população na Vila Real

Casa Civil - Destaques

Intercâmbio com mulheres líderes de seus bairros destaca a importância da participação popular

As conquistas das mulheres e seu importante papel no desenvolvimento da comunidade foi o tema do 2º Seminário dos Agentes Multiplicadores de Cidadania, que aconteceu no último domingo, (1) na Unidade de Saúde da Família na Vila Real. Jovens, adultos, moradores do bairro e cidadãos de outras partes da cidade estiveram presentes para uma troca de experiências com mulheres líderes de bairros da Bolívia e Recife, que trouxeram seus relatos sobre a importância da mobilização e organização para proporcionar melhorias às suas comunidades.
O prefeito Eduardo Pereira abriu o evento lembrando a necessidade da participação da população nas decisões, não só de seus bairros, e sim de toda a cidade. “Cidadania só se faz com participação popular, e é isso que temos feito pela nossa cidade. A presença de cada um de vocês é extremamente importante porque demonstra a preocupação e cuidado que temos com o nosso município”, diz, ao agradecer a presença da população no encontro.
As mudanças ocorridas nos últimos anos na Vila Real também foi destacada pela grande participação popular nas decisões, tanto com os conselhos de Orçamento Participativo, quanto com os grupos da Poupança Comunitária, formados em 2005, a partir de uma visita de um grupo de africanos ao bairro. “Quando as pessoas estão mobilizadas o trabalho da Prefeitura fica mais eficaz. As mudanças na Vila Real são muito significativas. A Prefeitura, desde o início de sua gestão, tem criado junto com a população mecanismos de construção coletiva de uma cidade melhor”, afirma o vice prefeito Lula Raniero.
A secretária de Cidadania e Desenvolvimento Social, Giany Povoa, lembrou a mudança realizada pelo governo na área de Assistência Social, hoje chamada de Desenvolvimento Social. “É o governo se modificando e preservando a história das comunidades”, diz. “Considerar a história de vida de cada um, seus saberes, seus quereres, é trazer a população para mais perto das decisões. Ter a comunidade reivindicando seus direitos dá mais trabalho, mas o salto na qualidade de vida a população é surpreendente”, completa
As mulheres convidadas para o seminário destacaram a importância da mulher nas mobilizações de comunidades por todo o mundo. A boliviana Elisabete, de 35 anos, falou sobre sua experiência de luta com outras mulheres bolivianas em um centro de mineração na adolescência e frisou a importância das comunidades se organizarem para reivindicarem seus direitos. “O papel mediador das mulheres tem grande influência na mobilização das comunidades. É preciso valorizar o trabalho de grupos como o que temos aqui e lembrar que sem organização fica praticamente inviável a busca por melhorias para a população”, finaliza.