Eduardo participa do lançamento da pedra fundamental da ETE

Casa Civil - Destaques

   

Na manhã desta sexta-feira (17), foi lançada a pedra fundamental da Estação de Tratamento de Esgoto de Várzea Paulista e Campo Limpo. Autoridades de toda região estiveram presentes no evento, entre elas, o prefeito Eduardo Pereira, que desde o início do seu mandato batalhou pela conquista da estação, tendo o projeto como uma meta de seu governo. Com a iniciativa, as duas cidades terão 100% de seu esgoto tratado.

Também estiveram na solenidade o governador do Estado de São Paulo, Alberto Goldman; a secretária estadual de Saneamento e Energia, Dilma Pena; o presidente da Sabesp, Gesner Oliveira e o prefeito de Campo Limpo Paulista, Armando Hashimoto. Eduardo aproveitou a ocasião, com representantes de diversas esferas reunidas, para falar sobre a importância das parcerias. “Estamos conseguindo concretizar esse sonho porque contamos com a parceria entre as duas cidades, Sabesp, BNDES, Caixa Econômica Federal e governos Estadual e Federal”, disse.

O prefeito varzino lembra que, quando assumiu a administração municipal, em 2005, começou a buscar meios de viabilizar a construção da ETE. Para isso, articulou várias reuniões no Ministério das Cidades, apresentando dados favoráveis ao projeto proposto. Foi então que o ministério disponibilizou, através do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), o recurso que viabilizará as obras.

Serão empregados R$ 112 milhões para a construção da estação. A Caixa Econômica está atuando na ação como agende financiadora, repassando o recurso do BNDES para o consórcio vencedor da licitação. Com a conquista dos recursos necessários para a execução das obras, foi autorizada pela secretária estadual de Saneamento e Energia, Dilma Pena, em 2007, a abertura do processo licitatório para contratação da empresa responsável pela construção.

O governador Alberto Goldman reconheceu que a coleta e o tratamento de esgoto estão chegando atrasados na região. “O rio Jundiaí nasce em Mairiporã. Ele começou a ser despoluído, mas quando passa nessa região recebe esgoto, porque o tratamento realmente está atrasado aqui. Estamos com essa iniciativa tentando resgatar esse passado”, disse.

Iniciativa beneficiario Jundiaí

        A Estação de Tratamento de esgoto beneficiará o rio Jundiaí e, consequentemente, todas as cidades de sua bacia, já que, com o esgoto despejado pelas cidades de Várzea Paulista e Campo Limpo será 100% tratado. “Meu sonho é um dia poder ver o rio Jundiaí totalmente despoluído e ver peixes nele”, comenta o prefeito Eduardo Pereira.

        Ele enfatizou que além da questão do saneamento e da saúde da população, a coleta, tratamento e afastamento do esgoto vão garantir um grande passo no sentido do desenvolvimento. “Muitas empresas deixam de se instalar na cidade porque têm como exigência a existência desse tipo de serviço. Portanto, a conquista vai nos ajudar muito em termos de economia e desenvolvimento”.

        Dilma Pena, secretária estadual de Saneamento e Energia, considera que a preocupação com o desenvolvimento sustentável tem um significado especial para a região. “Essa é uma área que sofre muito com a escassez de recursos, por isso é necessário começar a planejar o aproveitamento das bacias que a compõe, sobretudo do rio Jundiaí e Atibaia”.

Etapas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A construção do sistema será feita em quatro fases. A primeira compreende a implantação, no território das duas cidades, dos coletores-tronco, emissários e interceptores, que totalizarão mais de 33 mil metros de extensão. Também serão construídas cinco estações elevatórias de esgoto, que terão o papel de vencer desníveis do terreno para a condução do esgoto até a estação de tratamento. O projeto ainda prevê a implantação de cerca de 5 quilômetros de linhas de assentamento, para que não haja problemas na edificação da obra e finalmente possa ser construída a Estação de Tratamento de Esgoto, com vazão média de tratamento de 560 litros de esgoto por segundo.