Várzea Paulista e mais 11 cidades da região discutem rumos da Educação

Educação - Destaques

Evento da CONAE reuniu cidades da região e debateu eixos aprovados na conferência nacional

O salão de eventos do hotel das Orquídeas Express-Inn, em Várzea Paulista, foi palco de um caloroso debate na tarde da última sexta-feira (17), sobre a Conferência Nacional de Educação (CONAE).  O evento ‘CONAE 2010 Caminhos e Perspectivas’, contou com a presença de Iara Bernardi, representante do Ministério da Educação em São Paulo, Luiz Augusto do Amaral, presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Extensão (Funep) e José Adinan Ortolan, vice-presidente da União Nacional de Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

“A educação transcende os muros da escola. Este evento é uma evolutiva de tudo que debatemos na nacional. É o que precisamos fazer para que as propostas se materializem e não fiquem só no papel”, explicou o secretário de Educação, Luciano Braz de Marques.

Também participaram representantes de Campo Limpo Paulista e Jarinú, que realizaram conferência conjunta com Várzea Paulista, Carapicuíba, Itu, Cabreúva, Louveira, Caieiras, Francisco Morato, Cajamar, Itatiba e Rio Claro

“Reuniões como essa fazem com que tenhamos perspectivas para uma nova forma de educar. Somos motivadores de aprendizado e essa transferência de informações é um exercício. O educador se imortaliza através do conhecimento que passa”, afirmou Luiz Augusto do Amaral, do Funep, na abertura do evento, afirmando ainda a importância da parceria com Várzea Paulista.

Marco

O vice-prefeito Lula Raniero considera a CONAE como um grande marco para as mudanças educacionais no Brasil. “Debater educação respeitando as diferenças culturais. Um dos grandes avanços é a discussão do sistema único de educação, que deve ser estudado e aprovado”, definiu.

Iara Bernardes apimentou o debate, com a defesa da formação fiscal para educadores e a defesa pelo aumento do piso salarial da categoria. “Não podemos ter leis de responsabilidade fiscal que limitam o salário dos educadores. Que jovem vai querer estudar para recebem R$ 1,8 mil mensal? Temos que garantir a qualidade do ensino. É preciso que as escolas apresentem bons indicadores de qualidade. Nossas crianças e jovens não podem mais ser penalizados pela falta de investimento ou vontade em oferecer um bom ensino”, discursou Iara, que ainda defendeu um plano nacional de educação articulado e com regime de colaboração.  “Alguns governos precisam entender que aplicar a Plataforma Freire é essencial e que precisamos cada vez mais formar parcerias, unificando toda a rede”, explica a representante do MEC.

O Plano Municipal de Educação também entrou na pauta do evento. Para Lula, será fundamental a participação popular em mais esta fase. “Discutir educação faz parte do processo social. Será fundamental a participação dos educadores e da comunidade para que seja elaborado um plano municipal que se adapte a nossa rede”, finalizou.