nome da pagina

14º Encontro de Companhia de Santos Reis se encerra com muita devoção e animação

Domingo contou com missa de abertura, desfiles das companhias, participação popular e palavras das autoridades

 

 

A Praça CEU foi palco de uma animada festa devocional popular ao longo desse domingo (9). O 14º Encontro de Companhia de Santos Reis, realizado pela Prefeitura de Várzea Paulista e organizado pela Companhia de Santos Reis Luz Divina, da cidade, reuniu, no dia de seu encerramento, muita espiritualidade, com a missa e os desfiles das companhias, repletos de músicas de sua tradição; grande participação do público que prestigiou os momentos devocionais e o show ao final do evento; e importantes palavras de incentivo de autoridades de Várzea Paulista e até de Caconde. A alegria e vontade demonstradas fizeram a diferença no resultado do evento, que celebra a tradição da adoração dos reis magos ao Menino Jesus.

 

Ao longo do dia, 12 companhias, de nove cidades paulistas, realizaram seus desfiles, ao som de músicas religiosas compostas por muitas vozes, violas, violino e vários outros instrumentos, tudo animado pelas danças dos palhaços. Ao final da tarde, o tradicional violeiro varzino Campos Silva animou o público com várias músicas sertanejas.

 

 

Incentivo

 

Após a missa, ao som de violas e com a liturgia de Pentecostes — festa católica também nesse domingo —, que celebra a vinda do Espírito Santo sobre os discípulos de Jesus Cristo, 50 dias após a Páscoa, autoridades enalteceram o evento. Os oradores também procuraram receber bem os participantes, em especial os vindos de outros municípios.

 

O prefeito de Várzea Paulista, Juvenal Rossi, citou a devoção histórica e tradicional de santos reis, festa da qual sempre participou na cidade, e destacou a importância da espiritualidade do Evangelho. “Não é apenas um momento para comer e beber, não é apenas cultura. É muito mais do que cultura. É uma devoção”, declarou.

 

 

O administrador também aproveitou a oportunidade para homenagear Heitor Viola, um dos idealizadores do evento. “Onde quer que Heitor esteja, saiba que sua memória está viva, já que, junto de Alcides Graciano, foi um dos grandes mentores deste encontro”.

 

 

Rossi deu as boas-vindas aos participantes de outras cidades. “Que vocês sejam bem recebidos e tenham uma estadia agradável e abençoada. Obrigado a todos que vieram e acreditaram que é possível realizar eventos como este”.

 

O gestor executivo municipal de Cultura da cidade, Jota Moreira, também deu as boas-vindas às companhias presentes e demonstrou estar realizado com a atual edição do encontro, que considerou uma das maiores realizadas até hoje. “É uma grande satisfação, um privilégio realizar este encontro. Nossa equipe é imbuída de trabalhar para que este evento cresça cada vez mais, o que só é possível com o apoio da população”.

 

O vereador de Caconde Joãozinho do Mercadinho também esteve presente para prestigiar o encontro. O parlamentar cumprimentou todos os presentes e destacou ser bastante conhecedor da tradição de santos reis. “Sou bastião de uma companhia de santos reis e meu filho também é”.

 

 

Também no ato solene, o mestre da Companhia Luz Divina, Alcides Graciano, enalteceu o trabalho de todos os envolvidos e agradeceu a infraestrutura fornecida pela Prefeitura. A flâmula oficial do encontro foi entregue oficialmente ao prefeito, que abriu solenemente o domingo festivo.

 

Os vereadores Giba, Robertinho e Osmar do Mirante, autor da lei municipal — de outubro de 2017 — que inclui os encontros de companhias de santos reis no calendário municipal e estabelece o segundo final semana de junho de todos os anos para sua realização, também participaram da festa.

 

 

Tradição familiar

 

Levi Leite da Silva, 67 anos, veio participar da festa com a Companhia de Santos Reis Estrela Guia, da cidade de Leme, da qual participa há 30 anos. Ele sempre fez parte dessa religiosidade e gosta bastante de festejar Santos Reis com outras companhias. ”Participo de todos os encontros, até mesmo em Minas Gerais. Vim de Minas Gerais. Eu via a folia de reis todos os anos. É uma tradição que recebi de meu pai. Quando tinha 30 anos, eu recebi o convite da Companhia Estrela Guia e aceitei. Comecei a acompanhá-los em um dos desfiles, não saí até hoje e nunca pretendo sair”.

 

 

Aparecido Cândido, da mesma companhia, recebeu a espiritualidade da Festa de Santos Reis de seus pais e aprecia encontros como o realizado em Várzea Paulista, do qual participa pela segunda vez. “Sempre tivemos essa tradição. Gosto dos encontros”, afirmou.

 

Outra razão para Aparecido sorrir foi a presença do neto Bryan da Silva Cândido, 11 anos, caracterizado como palhaço da companhia pela primeira vez.

 

José Cândido, 61 anos, que, apesar do sobrenome, não é parente de Aparecido, participa desde os 7 anos de idade. “Participamos desses encontros sempre que possível”.

 

Aldemir Felix Pimenta, 54 anos, mora em Várzea Paulista desde 1977. Natural do estado do Paraná, o munícipe sempre herdou a tradição de santos reis de seus pais e a segue até hoje, recebendo os participantes em sua casa, em janeiro. Participante do encontro varzino pela terceira vez, ele elogiou a organização da edição de 2019. “As barracas de comidas estão padronizadas e bem diversificadas. Vou ficar um pouco por aqui, de manhã, e mais tarde voltarei”.