nome da pagina

O lixo tem um destino, e não é a rua!

O descarte incorreto do lixo e entulho pode causar enchentes, trazer doenças e grandes prejuízos para a cidade.

 

Mesmo contando com o serviço de coleta de lixo e seletiva regulares no município e um Eco Ponto com toda a estrutura para receber descartes, muitos moradores insistem em jogar seu lixo nas ruas, bueiros, rios e córregos da cidade.

 

 

Restos de obras, móveis (especialmente sofás e restos de guarda-roupas), eletrodomésticos (como geladeiras, fogões, entre outros), brinquedos, roupas, garrafas e sacolas plásticas e até mesmo lixo orgânico, estão regularmente sendo jogados em diversos pontos da cidade.

 

O resultado desse tipo de atitude é sentido especialmente em épocas de grande volume de chuvas, como no começo do ano. Além da questão estética e dos problemas que causam no equilíbrio do meio ambiente, lixo na rua pode causar outros graves problemas para a população, como o entupimento de bueiros e aduelas dos rios canalizados e assoreamento de suas margens, contribuindo de maneira efetiva para que haja enchentes e inundações.

 

 

Saúde também em risco

 

Outro problema causado pelo lixo é de questão sanitária. Segundo a Gestora de Saúde de Várzea Paulista, Mônica Carvalho, o acúmulo de lixo pode resultar em doenças como o tétano e a leptospirose, que é transmitida por ratos. “A urina do rato que fica nas águas de inundações causa a doença e eventuais cortes pelo corpo também podem resultar em tétano.” Completou. O lixo acumulado pela cidade também resulta na proliferação de animais peçonhentos, como aranhas e escorpiões, que podem causar sérios acidentes.

 

 

Campanha contra o descarte irregular

 

 

A Prefeitura está lançando uma campanha de conscientização da população quanto à importância de dar o destino correto ao lixo e espera com isso reduzir a incidência de problemas relativos a isso.

 

 

O setor de infraestrutura realiza um trabalho constante de retirada desse lixo descartado de forma incorreta, com limpeza de bocas de lobo e desassoreamento das margens dos rios e córregos, entre outras ações.

 

 

Cidadã bom exemplo!

 

Preocupada com cidade e com as causas ambientais, a moradora da vila Santa Terezinha, Cláudia Regina Bergamin, dá uma aula de cidadania. Em sua casa existe uma regra e é sempre cumprida com muito louvor. Todo o lixo produzido pela família é separado e ganha destino correto. Segundo a microempreendedora, cumprir a regra é simples e não existe desculpa para não colaborar, “Na cozinha possuímos quatro cestos diferentes, cada um recebe um tipo de material, um é para plástico, outro para papel, metal e orgânico, depois cada um ganha o caminho certo, um para o lixo domiciliar e tudo que é reciclável vai para a equipe da coleta seletiva”, destaca Bergamin.

 

 

Coordenadora da ONG Eco e Vida, responsável pela coleta seletiva no município, Nayara Moraes, destaca que a consciência de Cláudia, infelizmente não é uma unanimidade, muitas pessoas ainda acabam dando a destinação incorreta ao lixo, porém destaca que por outro lado, Várzea Paulista, pode sim servir de exemplo, “Os moradores que adotaram esse hábito de reciclar, precisam sempre ser destacados. 70% do material coletado está em boas condições, ou seja, latas de extrato de tomate, garrafas pet’s mesmo que sendo descartadas estão limpas, isso ajuda e muito no momento de separação e não atrai bichos. Esse é um grande diferencial”, informou Nayara.