nome da pagina

Prefeitura intensifica trabalho contra Aedes aegypti, em Semana de Mobilização

Ideia é reforçar o combate ao mosquito causador da dengue e febre amarela, já feito de forma contínua ao longo do ano

 

A partir desta segunda-feira (26), a Unidade de Vigilância em Zoonoses de Várzea Paulista aumenta seus esforços contra o mosquito causador de doenças sérias como a dengue e febre amarela, no município. Na Semana de Mobilização de Combate ao Aedes Aegypti, até a próxima sexta-feira (30), as equipes do setor reforçarão suas ações já realizadas ao longo do ano: visitas casa a casa, vistorias de pontos estratégicos, como depósitos de recicláveis, e de imóveis com grande concentração de pessoas. Segundo o coordenador técnico do departamento, Éder Lúcio Carmanini, a campanha tem como objetivo reforçar as atividades de controle já executadas.

 

Técnicos do órgão também visitam borracharias, pátios de veículos e empresas com grande potencial de criadouros e vistoriam prédios considerados especiais, por terem potencial de disseminação do vírus, em razão da grande quantidade e circulação de pessoas: estação ferroviária, templos religiosos, escolas e indústrias.

 

 

Dados da Unidade apontam que, neste ano, já foram realizadas: 19.940 visitas domiciliares para orientação técnica aos munícipes; 501 inspeções em pontos estratégicos — em especial comércios de recicláveis e borracharias —; e 120 inspeções em imóveis especiais (principalmente prédios escolares). O setor também destaca o trabalho educativo realizado em todo mês de setembro nas escolas municipais, que chegou às famílias de aproximadamente 10.100 crianças da Rede Municipal de Ensino. “Lembramos que Várzea Paulista é uma das poucas cidades onde o tema do controle do Aedes aegypti faz parte da grade de ensino, assunto abordado durante o ano letivo”, recorda o coordenador.

 

 

 

Perspectiva para o ano que vem

 

Segundo Carmanini, o setor trabalhará em 2019 com a utilização de ações intersetoriais: saúde e educação; e saúde, infraestrutura e meio ambiente, para o controle das arboviroses como dengue e Zika vírus. Também serão feitas semanas de mobilização e intensificação, sempre com o objetivo de orientar os munícipes, além de atividades de remoção de criadouros por meio de caminhões cata-treco, que permitem a destinação dos resíduos retirados do interior dos imóveis aos locais corretos.

 

 

As visitas às residências e vistorias em locais estratégicos e imóveis especiais se manterão.