nome da pagina

Várzea Paulista tem Plano de Mobilidade Urbana aprovado

Nova lei municipal estabelece uma série de práticas para melhorar tráfego de carros e pedestres em toda a cidade

 

O Plano Municipal de Mobilidade Urbana de Várzea Paulista foi aprovado na última terça-feira (6), em sessão realizada na Câmara Municipal. A nova conquista do município é fruto de um estudo realizado desde 2009, antes mesmo da legislação federal que estabelece a necessidade de os Municípios criarem suas próprias leis de mobilidade. “Essa nova lei serve agora como referência para todas as ações do Governo Municipal, em curto, médio e longo prazo, para melhorar a mobilidade em nosso município. Sem esse Plano, correríamos o risco de não conseguir verbas federais para obras nesse sentido”, explica o gestor municipal de Trânsito, Oseas Martins.

 

Confira as principais medidas defendidas pelo Plano:

 

- Adequação de calçadas, passeios, transposições de barreiras, para pedestres e pessoas com mobilidade reduzida;

 

- Criação de ciclovias e ciclofaixas, para facilitar o tráfego de ciclistas;

 

- Criação de bicicletário;

 

- Implantação de passarelas, para interligar a Região Norte;

 

- Incentivo à participação de empresas em projeto cicloviário;

 

 

Ações que demandam maior investimento

 

- Alargamento da Avenida Ipiranga;

 

- Mudança na Avenida Fernão Dias Paes Leme (transformação da via em duas, com sentidos opostos), que passaria a ter mão única;

 

- Ligação da Avenida Fernão Dias Paes Leme com a Avenida dos Ferroviários (Jundiaí);

 

- Construção de duas pontes sobre o Rio Jundiaí: perto de Jundiaí (orçada para o ano que vem) e outra próxima a Campo Limpo Paulista;

 

- Alargamento do Viaduto dos Emancipadores;

 

- Alargamento de trecho da Avenida Duque de Caxias;

 

- Ligação do município com rodovias estaduais;

 

- Novo viaduto próximo a Jundiaí;

 

 

Ações já feitas

 

- Nova pista da Avenida Bertioga, próxima ao supermercado Boa;

 

- Criação de novo transporte público entre bairros;

 

- Estudo de recolocação de pontos de ônibus;

 

- Revitalização das Avenidas Marginais do Rio Jundiaí (iniciada);

 

- Prolongamento da Rua João Póvoa (Jardim do Lar) até a Avenida Ipiranga.

 

 

Recursos

 

Segundo Martins, o Plano já tem aplicação imediata e algumas medidas poderão ser aplicadas com recursos próprios ou mesmo parcerias com comerciantes. As pistas de acessibilidade, por exemplo, já existem em várias vias da cidade, mas a ideia é levá-la a novos locais. “Queremos começar pelo Centro, que tem um fluxo maior de pessoas, e depois fazer essas ações nas Avenidas principais, como a Bertioga e a Ipiranga, e prosseguir com sua expansão pela cidade”, adianta.

 

A Prefeitura passa a buscar recursos para viabilizar as ações que vão custar mais.

 

Segundo o gestor, a nova lei proporcionará uma maior acessibilidade ao município. “Ficará melhor acessar calçadas, travessias e meios de transporte público, para pessoas com mobilidade reduzida, inclusive da terceira idade ou que têm problemas visuais. O processo, em fase final, atende a uma determinação federal”.

 

 

Audiência

 

Em 5 de fevereiro deste ano, o Plano Municipal de Mobilidade Urbana foi apresentado a representantes de entidades como o CMPI (Conselho Municipal da Pessoa Idosa) da cidade, pessoas com deficiência e vereadores, em uma audiência pública.